Oficial: Mundial-2030 organizado por Portugal, Espanha e Marrocos, com três jogos na América do Sul

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Oficial: Mundial-2030 organizado por Portugal, Espanha e Marrocos, com três jogos na América do Sul
Atualizado
Mundial-2030 terá lugar em Portugal, Espanha e Marrocos mas com os três primeiros jogos no Uruguai, Argentina e Paraguai
Mundial-2030 terá lugar em Portugal, Espanha e Marrocos mas com os três primeiros jogos no Uruguai, Argentina e Paraguai
FIFA
Alejandro Domínguez, presidente da CONMEBOL (Federação Sul-Americana de Futebol), confirmou esta quarta-feira que o Mundial-2030 vai ser organizado por Portugal, em conjunto com a Espanha e Marrocos, num formato absolutamente inédito, uma vez que a competição vai começar com jogos na América do Sul, mais precisamente no Uruguai, na Argentina e no Paraguai. Minutos mais tarde, a FIFA confirmou o formato, com um Mundial disputado em três continentes diferentes.

A notícia foi dada em primeiro lugar por Alejandro Domínguez na rede social X, antigo Twitter.

"Apontámos alto e sonhámos em grande. O Mundial de 2030 inicia-se onde tudo começou. Os anfitriões dos jogos inaugurais do Mundial serão Uruguai, Paraguai e Argentina", anunciou.

"Vão existir três aberturas no Uruguai, na Argentina e no Paraguai. Serão três jogos inaugurais e tudo irá começar no Uruguai. A FIFA providenciará mais detalhes acerca daquilo que irá acontecer na Argentina e no Paraguai", pode ainda ler-se na publicaçao do presidente da CONMEBOL.

Recorde-se que o Uruguai organizou e venceu a primeira edição do Mundial, em 1930, com a Argentina a ser batida na final, sendo que a CONMEBOL tem atualmente a sua sede no Paraguai.

Desta forma, para comemorar o centenário do Campeonato do Mundo, a FIFA dará a organização da edição de 2030 a Portugal, Espanha e Marrocos, mas mantendo os três primeiros jogos inaugurais no Uruguai, na Argentina e no Paraguai.

A CONMEBOL, recorde-se, tinha feito uma candidatura para receber o Mundial, com a FIFA a informar hoje o organismo sul-americano deste formato inédito numa edição em tudo especial.

Desta forma, Portugal vai receber pela primeira vez um Mundial, tal como Marrocos, que já tinha feito cinco candidaturas sem sucesso, em 1994, 1998, 2006, 2010 e 2026. Marrocos, de resto, será o primeiro país norte-africano a organizar um Campeonto do Mundo.

De resto, os seis países estarão automaticamente apuradas para o Mundial-2030.

FIFA oficializou decisão

Minutos depois do anúncio do presidente da CONMEBOL, a FIFA anunciava a decisão, após o final da videoconferência do seu conselho diretivo.

"Em 2030, o Mundial da FIFA vai unir três continentes e seis países, convidando todo o mundo a unir-se à celebração do belo jogo e ao centenário do Mundial. A Conselho da FIFA chegou a um acordo unânime que a candidatura de Marrocos, Portugal e Espanha vai receber o evento em 2030", pode ler-se.

"Adicionalmente, tendo em conta o contexto histórico, o Conselho da FIFA acordou em organizar uma cerimónia do centenário na capital Montevideo, onde o primeiro Mundial teve lugar, bem como três jogos no Uruguai, Argentina e Paraguai, respetivamente", acrescentou o organismo.

"Num Mundo dividido, a FIFA e o futebol estão unidos. Chegámos a acordo para celebrar o centenário do Mundial, com três jogos em três países sul-americanos. O primeiro será obviamente jogado no estádio onde tudo começou, o mítico Estádio Centenário, em Montevideo. O Conselho também chegou a um acordo unâmime para a organização conjunta de Marrocos, Portugal e Espanha. Em 2030, teremos uma pegada única, com três continentes e seis países a dar as boas-vindas e a unir o mundo numa celebração do jogo bonito", afirmou Gianni Infantino, presidente da FIFA.

As reações de Portugal, Marrocos e Espanha

Já depois da FIFA ter oficializado a sua decisão sobre os anfitriões do Mundial-2030, Marrocos, Portugal e Espanha garantiram que vão trabalhar para preparar o melhor dossier de candidatura alguma vez apresentado e organizar um Mundial que honre a diversidade e celebre a história da competição com a paixão que une os três países pelo futebol.

Cada um dos nossos países traz para a mesa uma vibrante tradição futebolística, uma inigualável experiência organizativa e uma capacidade de inovar que seguramente marcará o futuro da competição”, afirmou Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol.

Este é um momento importante na história de Marrocos, uma grande conquista sob a liderança de Sua Majestade o Rei Mohammed VI. É um orgulho e uma responsabilidade o que temos pela frente, e um privilégio unir forças com os nossos homólogos de Portugal e Espanha para preparar um dossier de candidatura que, tenho a certeza, fará história e levará a organização para um nível nunca antes alcançado”, afirmou Fouzi Lekjaa, Presidente da Real Federação Marroquina de Futebol.

A ilusão que é poder trazer de regresso a Espanha, quase 50 anos depois, a organização de um Campeonato do Mundo de Futebol. Tenho a certeza de que juntamente com Marrocos e Portugal vamos organizar o melhor Mundial de sempre”, acrescentou Pedro Rocha, Presidente da Real Federação Espanhola de Futebol.