Euro-2024: Nagelsmann criticado por assistir a jogo com a namorada em plena crise da seleção

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Euro-2024: Nagelsmann criticado por assistir a jogo com a namorada em plena crise da seleção
Nagelsmann assistiu ao jogo com a namorada.
Nagelsmann assistiu ao jogo com a namorada.
Profimedia
As selecções nacionais nunca têm a vida facilitada. São elas que estão sob o maior escrutínio e as maiores expectativas. A direção do futebol checo tem uma experiência recente nesta matéria, mas a alemã também está numa crise grave. O novo treinador da equipa, Julian Nagelsmann (36 anos), foi visitar o Estugarda e levou a namorada com ele, o que não caiu bem. "Se ele tivesse tido bons resultados e o ambiente fosse positivo, tudo se teria acalmado e teria sido mais um caso de humor", comentou Jan Morávek sobre o caso para o eFotbal.cz.

De acordo com a imprensa alemã, a derrota de quarta-feira do Borussia Dortmund em Estugarda por 0-2 na Taça da Alemanha foi vista por 5,6 milhões de telespectadores na ARD. Para além do futebol, viram também o treinador nacional Julian Nagelsmann. À primeira vista, uma coisa normal. O selecionador nacional foi assistir a um jogo em que iriam jogar possíveis convocados.

Mas Nagelsmann não estava sozinho entre os 54.200 espectadores. A sua namorada Lena estava ao seu lado. Na Alemanha, os treinadores das selecções nacionais nunca fizeram uma apresentação tão conjunta.

Por exemplo, Jürgen Klinsmann (2004-2006) e Jogi Löw (2006-2021) só apareceram nas bancadas com as suas mulheres depois de terminarem o seu tempo como treinadores da seleção nacional. Embora as esposas estivessem presentes no estádio de vez em quando, não se sentavam ao lado delas.

Crítica e defesa

A cena futebolística alemã dividiu-se imediatamente em dois campos. O futebol alemão está em crise, antes do Campeonato da Europa em casa é a pior altura para o fazer. E o treinador que deveria conduzir a equipa à medalha de ouro está num encontro para ver o jogo? É mais ou menos esse o argumento de um dos lados em que Dietmar Hamann se transformou.

"Quando vi a notícia, disse para mim próprio que não podia ser verdade", afirma o Bild, o antigo jogador do Liverpool ou do Bayern: "A seleção nacional está a chapinhar na lama e o selecionador está a fazer uma viagem em família a Estugarda. Acho isso pouco profissional, incompreensível e difícil de ultrapassar. É um comportamento ignorante".

O outro lado é compreensivo. "O Julian está simplesmente a ver o jogo com a namorada. Não vejo nada nele que mereça tal crítica", não entendeu Lothar Matthäus.

O conhecido comentador Marcel Reif também expressou a sua opinião. "Se ele fosse o treinador do clube e a sua namorada estivesse sentada ao seu lado no banco, eu diria que talvez não fosse a melhor ideia. Mas desta forma... O que é que isso tem de problemático?" perguntou retoricamente.

Os últimos resultados da Alemanha
Flashscore

É tudo uma questão de resultados

Obviamente, o alfa e o ómega de toda esta questão são os resultados. Nagelsmann venceu apenas uma das quatro partidas que disputou como técnico da seleção (3-1 nos Estados Unidos), perdendo recentemente com a Turquia (2-3) e a Áustria (0-2).

 Esta situação não é um bom presságio para o próximo Campeonato da Europa. " Se Nagelsmann tivesse bons resultados e o ambiente fosse positivo, tudo ficaria mais leve e seria mais um caso de humor", disse Jan Morávek ao eFotbal.cz: "É que as pessoas têm a perceção de que a seleção alemã está em crise, estão nervosas, por isso é bom para elas que a situação se agrave desta forma".

Como na maioria dos casos, o técnico é quem leva o peso das críticas e da pressão. Uma presença aparentemente insignificante em um jogo pode transformar-se num caso desagradável. Isso também acontece porque muitos alemães estão fartos do parceiro de Nagelsmann.

"Pessoalmente, estou inclinado para Lothar", diz Morávek: "Os alemães são tensos e procuram problemas onde eles não existem. Por outro lado, compreendo um pouco o Hamann, porque os treinadores anteriores não faziam isso. Além disso, há sempre a memória de que a companheira de Nagelsmann trabalhava para o Bild e, quando ele treinou o Bayern, houve fugas de informação. As pessoas suspeitavam que era ela que estava a passar informações ao Bild".