Federação Portuguesa de Futebol anunciou bolsas de estudo para jogadoras

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Federação Portuguesa de Futebol anunciou bolsas de estudo para jogadoras
Nova edição da Liga feminina foi alvo de uma sessão de lançamento esta quinta-feira em Lisboa
Nova edição da Liga feminina foi alvo de uma sessão de lançamento esta quinta-feira em Lisboa
FPF
A Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou esta quinta-feira a criação de um programa de bolsas de estudo para jogadoras que disputem a Liga feminina de futebol, numa sessão que enalteceu o crescimento do setor em Portugal.

A edição 2023/2024 da Liga, que se inicia este fim de semana, foi alvo de uma sessão de lançamento que teve lugar no Edifício All In One, em Lisboa, e contou com representantes de todos os clubes que disputam o principal campeonato feminino português e ainda uma jogadora de cada conjunto, à exceção do SC Braga.

A sessão contou ainda com um curto debate, subordinado ao tema "O futebol como motor social da Igualdade", que concentrou ideias sobre o estado atual do futebol feminino em Portugal e foi aberto à participação de todos os presentes.

A principal novidade do evento residiu na criação de um programa de bolsas de estudo para jogadoras que disputem a Liga feminina, numa parceria entre a FPF, o banco BPI, patrocinador da competição, e a Fundação La Caixa.

A iniciativa permitirá a 20 jogadoras que disputem o campeonato feminino português seguir o seu percurso académico em simultâneo com a carreira desportiva ao mais alto nível, novidade que recebeu o apoio de todos os clubes presentes.

A diretora para o futebol feminino da FPF, Mónica Jorge, manifestou-se orgulhosa pela criação da bolsa de estudos e valorizou a importância que poderá ter no futuro das futebolistas ao mais alto nível em Portugal.

"São bolsas de estudo destinadas a todas as atletas dos 12 clubes que compõem a Liga BPI , que podem concorrer e tentar entrar na faculdade, licenciatura ou pós-graduação. O regulamento será público, depois podem consultá-lo e tirar mais informações, mas todas essas bolsas podem candidatar-se ao ensino superior", explicou a dirigente federativa.

Mónica Jorge destacou ainda o crescimento do campeonato feminino português e a sua aproximação às principais competições internacionais, congratulando-se pela união entre federação e todos os clubes em prol de um futebol feminino cada vez mais competitivo.

"Temos sempre de ver com os clubes, todos os anos temos dois workshops em que apresentamos propostas e discutimo-las. Já tivemos várias formas, de acordo com as várias realidades e uma coisa é certa: há 10 anos que a FPF disse que o objetivo principal é o de que todas as equipas em Portugal tenham futebol feminino", declarou, em nome da instituição que representa. 

Na sua intervenção, o presidente da FPF, Fernando Gomes, sublinhou ainda o seu orgulho pelo facto de a final da Supertaça feminina, disputada na quarta-feira entre Benfica e Sporting, ter liderado as audiências televisivas.

"O jogo entre Benfica e Sporting, todos sabem, liderou a audiência televisiva, à frente dos telejornais e, acima de tudo, demonstra aquilo que temos vindo a afirmar, que é a evolução muito positiva do caminho e do interesse do futebol feminino e desde há algum tempo que sabíamos disso", congratulou-se o responsável máximo pela FPF.