Pinto da Costa: “Obviamente queria que o Benfica ganhasse a Liga Europa”

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Pinto da Costa: “Obviamente queria que o Benfica ganhasse a Liga Europa”

Pinto da Costa é candidato às eleições presidenciais do FC Porto.
Pinto da Costa é candidato às eleições presidenciais do FC Porto.Profimedia
O presidente do FC Porto concedeu uma entrevista à Rádio Renascença onde abordou vários temas. Desde a situação contratual de Sérgio Conceição, ao afastamento de quatro jogadores do plantel principal passando pela ausência da verba da Liga dos Campeões na próxima temporada.

A atravessar uma semana complicada, com três jogos consecutivos sem ganhar na Liga (duas derrotas e um empate), o FC Porto prepara a segunda mão das meias-finais da Taça de Portugal, com boas perspetivas de chegar ao Jamor. Em conversa com a Rádio Renascença, Jorge nuno Pinto da Costa reiterou a confiança no atual plantel.

A equipa tem valor mas está a atravessar um mau momento devido a fatores que não vale a pena estar a enumerar mais vez. Uma equipa que fez o que fez frente ao Arsenal na Liga dos Campões e que venceu o Benfica por 5-0 há menos do mês tem qualidade. Estou convencido contra o Vitória SC, num jogo importante, que abre as portas da final da Taça de Portugal, vai corresponder e mostrar o real valor”, atirou, reiterando a questão Norte-Sul lançada por Sérgio Conceição: “É evidente que existe uma luta entre Norte e Sul, ou Lisboa e Porto, que querem a hegemonia total do futebol português na capital, parece-me que é evidente para todos”.

A semana ficou marcada pelo afastamento de quatro jogadores (Jorge Sánchez, Iván Jaime, Toni Martínez e André Franco) do plantel principal.

Não é uma questão de qualidade. Costuma dizer-se que no melhor pano cai a nódoa, mas às vezes sinto, e o treinador também, que há jogadores que se entregam e não lutam para virar as coisas como é preciso, e age para os espicaçar. O Iván Jaime era um talento desejado por todos e ainda não se adaptou nem rendeu o que esperávamos. O Jorge Sánchez nunca foi contratado para ser titular, porque o nosso lateral-direito (João Mário) é internacional português e temos aquele que podia ser o melhor defesa direito em Portugal se se fixasses nesse lugar: o Pepê. O Toni Martínez está num período mau, anda desanimado, mas tenho a certeza que vai aparecer bem”, atirou.

Com Sérgio Conceição a terminar contrato, Pinto da Costa explicou o porquê de não renovar.

Não renovei e a outra candidatura (André Villas-Boas) diz que não entende, mas é fácil de perceber. Existem eleições, não se sabe quem vai ser o presidente e o Sérgio Conceição não vai renovar sem saber com quem vai trabalhar. É óbvio”, asseverou.

Por último a questão financeira. Com o FC Porto com o risco cada vez mais certo de falhar a Liga dos Campeões, Pinto da Costa argumentou contra o eventual buraco financeiro.

Tem impacto, mas a Liga Europa também vai dar mais dinheiro do que o costume. E para compensar vamos ter o que nunca tivemos, nem prevíamos: 50 milhões de euros para estar no Mundial de Clubes. É uma verba extra que vai ajudar a tapar o buraco”, explicou.

Ainda assim, o FC Porto pode garantir a Liga dos Campeões se o Benfica vencer a Liga Europa. Significa isto que Pinto da Costa iria apoiar o rival lá fora?

Independentemente disso, gostava sempre que qualquer equipa portuguesa ganhasse uma prova internacional. Não vou ser hipócrita, em Portugal quero que o Benfica perca sempre, quando uma equipa portuguesa está a jogar no estrangeiro quero que ganhe. Obviamente queria que o Benfica ganhasse”, concluiu.