Semáforo da Liga: Neres agarra oportunidade, os sinais de Moreno e saída de Álvaro Pacheco

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Semáforo da Liga: Neres agarra oportunidade, os sinais de Moreno e saída de Álvaro Pacheco
Neres brilhou em Portimão
Neres brilhou em Portimão
SL Benfica/Opta by Stats Perform
No final de cada jornada da Liga Portugal, o Flashscore apresenta-lhe um balanço do que mais de relevante aconteceu nos nove jogos do principal escalão do futebol português, catalogado através das três cores do semáforo. O verde para destacar um momento positivo, o amarelo para assinalar algo impactante/relevante e o vermelho para um ponto menos positivo de cada ronda. Vamos aos três momentos da 6.ª jornada.

VERDE: A luta de Neres

Após uma temporada 2022/23 em que foi mais titular (34 jogos) do que suplente (14), David Neres acabou 'penalizado' pelo regresso de Ángel Di María ao Benfica. O excelente desempenho do internacional argentino e a crença de que Neres e Di María em simultâneo, de início, não é o melhor cenário para os encarnados, fizeram com que o brasileiro passasse mais tempo no banco neste arranque de 2023/24.

O raio de ação de David Neres no último jogo
AFP/Opta by Stats Perform

Ultrapassados alguns problemas físicos na reta final da pré-temporada, que o deixaram de fora da Supertaça, o internacional canarinho apareceu com vigor no jogo com o Estrela da Amadora (2-0), na Luz, na 2.ª jornada da Liga Portugal, com duas assistências nos últimos 20 minutos, e, desde então, ganhou força a questão em torno do estatuto de Neres no plantel. Os adeptos 'reclamaram' mais minutos, mas Schmidt manteve a posição de 'arma secreta'.

No entanto, a indisponibilidade física de Di María para a deslocação a Portimão (1-3) escancarou a porta do onze para o 'sedento de minutos' David Neres mostrar que merece mais do que aquilo que tem tido. Um golo, uma assistência e 9,4 de nota para o Flashscore (melhor jogador da jornada) projetaram o brasileiro para um patamar que vai ser difícil de contrariar pelo treinador germânico.

Os toques na bola de David Neres no meio-campo contrário
Opta by Stats Perform

E, na antecâmara do clássico, frente ao FC Porto, marcado para a próxima sexta-feira, dia 29, no Estádio da Luz, o melhor Neres lançou forte candidatura ao onze. Será que, em caso de recuperação de Di María, Roger Schmidt vai conjugar o brasileiro e o argentino pela primeira vez? Uma questão de difícil resposta.

AMARELO: Estreia de Moreno

Minuto 84 do encontro entre Chaves e Estrela da Amadora, em Trás-os-Montes. Na estreia de Moreno, sucessor de José Gomes no comando técnico dos transmontanos, o lanterna-vermelha encontra-se à beira da sexta derrota nas seis primeiras jornadas, com o marcador a assinalar 0-2 a favor dos tricolores, mas o cenário mudou por completo na reta final do encontro e ainda foi possível alcançar o primeiro ponto na temporada.

Moreno estreou-se como treinador do Chaves
GD Chaves

As mudanças operadas pelo novo técnico no segundo tempo surtiram efeito, sobretudo as entradas de Pedro Pinho e Jô Batista, com o Chaves a restabelecer a igualdade no quinto minuto do tempo de descontos, e a ter ainda oportunidade para consumar a reviravolta (sem sucesso), num final de loucos que só pode dar boas perspetivas para o futuro. 

Sobre o primeiro jogo do reinado de Moreno, nota ainda para a alteração tática - sistema de três centrais -, que pode criar raízes para as próximas jornadas.

Em suma, com apenas três dias de trabalho, o novo treinador conseguiu mudar o sistema e ainda assistir a uma resposta de caráter da sua equipa num momento dificílimo em termos de resultados. Segue-se a deslocação a Arouca.

As principais estatísticas da partida
Opta by Stats Perform

VERMELHO: Estoril sem boina

Em entrevista recente ao Flashscore, o treinador Jorge Costa teve uma afirmação curiosa: "(Nós treinadores) Somos avaliados pelos resultados. Não há hipótese, é o teu julgamento ao domingo". Encaixa que nem uma luva no que aconteceu ao treinador Álvaro Pacheco no Estoril.

Após seis jornadas (uma vitória, um empate e quatro derrotas), a que acrescem dois jogos nas pré-eliminatória da Taça da Liga (duas vitórias), a era de Álvaro Pacheco chegou ao fim. Nem o registo de um dos melhores ataques do Campeonato, nem a valorização de alguns jovens jogadores (João Marques é o caso mais evidente), foram suficientes para impedir o cenário da saída.

Os últimos jogos do Estoril
Flashscore

"Apesar de não se concretizar em pontos o trabalho efetuado, tornámo-nos num dos melhores ataques da liga, e é com grande orgulho que vejo jovens talentos emergir e brilhar. O vosso trabalho não foi em vão e será, certamente, parte da fundação para o vosso sucesso", escreveu o técnico nas redes sociais.

Num futebol cada vez mais fechado, em que é difícil reunir todos os ados, a verdade é que, à primeira vista, parece ser uma decisão claramente precipitada da direção estorilista, embora, em certa medida, esperada por conta de alguns problemas desde o início da relação, como aqui demos conta. 

Agora, vamos deixar de ver a célebre boina junto ao banco técnico do Estoril, mas, para já, a mesma continua disponível para compra no site do Estoril. É caso para dizer que Álvaro Pacheco saiu, mas ainda continua um pouco presente no dia-a-dia dos canarinhos.

As escolhas de Rodrigo Coimbra
Flashscore