Sérgio Conceição: “A Taça da Liga é o caminho mais curto para vencer um título”

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Sérgio Conceição: “A Taça da Liga é o caminho mais curto para vencer um título”
Sérgio Conceição ambicioso para o duelo da Taça da Liga
Sérgio Conceição ambicioso para o duelo da Taça da Liga
FC Porto
Na antevisão do jogo com o Estoril, que marca a estreia do FC Porto nesta edição da Taça da Liga, Sérgio Conceição reiterou a ambição azul e branca na prova. Abordou ainda a mais recente partida entre dragões e canarinhos que resultou na vitória da equipa da Linha.

Atual detentor da Taça da Liga, o FC Porto entra em prova esta quarta-feira, com a visita ao Estoril, no Grupo D. E Sérgio Conceição não tem dúvidas da atitude que espera ver dos dragões, obrigados a ganhar depois de o adversário já ter somado três pontos diante do Estoril.

É um desejo da equipa estar presente na final four e para isso acontecer temos de fazer um bom resultado contra o Estoril. Preparamos dentro deste quadro, da melhor forma possível para ir lá e ganhar o jogo”, atirou, falando da importância da Taça da Liga: “É uma competição nova em relação às outras, falando das provas internas. Foi melhorando ao longo dos anos, a organização e, sinceramente, não vejo nenhum clube que não queria ganhar este título. Um título é um titulo e o caminho mais curto para se ganhar um título é esta prova. São quatro jogos e podemos ganhar. Este clube vive de títulos e no vejo como desvalorizar a Taça da Liga. O Estoril já teve a oportunidade de somar três pontos, nós temos de ir atrás do resultado”.

Sem João Mário e Alan Varela, Sérgio Conceição não quis falar em rotação.

“Os melhores serão aqueles que terão mais minutos neste momento, mas no final da época poderá ser diferente. Não vejo assim. Vou olhar para o jogo, definir a estratégia que queremos e jogar com quem me dá garantias para ganhar o jogo. Não vou pensar em qualquer tipo de gestão”, asseverou.

Acompanhe o relato na aplicação e no site
Flashscore

Este encontro marca também o reencontro entre o Estoril e o FC Porto, depois da vitória do conjunto de Vasco Seabra na Liga.

O jogo com o Estoril criámos muito mais do que contra o Famalicão. Tenho espicaçado em termos do que é feito diariamente. Podíamos ter chegado ao intervalo co, o o jogo resolvido, eles marcaram num lance de grande mérito individual. Foi em grande parte demérito nosso”, atirou, deixando elogios: “Foram uma boa equipa com o SC Braga, é uma equipa que gsota de jogar, tem qualidade individual e privilegia esses momentos em posse. Defensivamente ganha consistência com três centrais. Jogadores sabem o que fazer. Coletivamente estão mais fortes do que há umas semanas”.

Nessa partida, o treinador do FC Porto deixou alguns alertas no final.

"Quando faço um ou outro alerta não é porque me vem à cabeça. Se eu tenho uma mensagem a passar cá para a fora é porque é bem pensada. Naquele momento achei que o devia dizer, porque se passaram situações que não me agradaram. Neste momento e depois disso as pessoas, como grandes profissionais que são, continuam a trabalhar com o intuito de dar o melhor de si. E com isso eu fico satisfeito porque não há departamentos perfeitos, incluindo a equipa técnica. A minha intenção é fazer o melhor para que o FC Porto ganhe jogos e títulos", frisou.

Calendário, solidez e juventude

O jogo com o Estoril é um de uma série de várias partidas que vai ver os dragões defrontar ainda Casa Pia e Sporting para a Liga, bem como Shakthar Donetsk, na Liga dos Campeões

“Eu já me manifestei muitas vezes acerca disso. Quando eu digo que um clube grande é bom que esteja em todas as competições temos de levar com esse fardo, de o tempo de recuperação não ser o melhor. Estamos a projetar o jogo decisivo do Shakhtar, mas amanhã temos outro decisivo. Não queremos olhar muito à frente, porque podemos tropeçar”, atirou.

Os próximos jogos do FC Porto
Flashscore

E o FC Porto entra nesta fase mais consistente a nível de resultados.

“O que eu fui dizendo é que queríamos cada vez mais apresentar a solidez e consistência em todos os momentos do jogo. Vamos evoluindo como equipa. No nosso processo defensivo é sermos uma equipa que não sofrermos e depois conseguir fazer um para ganhar o jogo. Na fase de grupos somos a equipa mais concretizadora fora de casa, à frente do Manchester City. Eu preocupar-me-ia se na dinâmica ofensiva não tivéssemos capacidade para criar situações para finalizar com êxito, muitas vezes não temos conseguido finalizar, mas isso são situações que se trabalham. O futebol é isto. Eu nunca me preocupei com mais ou menos eficácia, preocupo sim é que os jogadores deem o melhor para diariamente evoluírem”, garantiu.

Por último, elogios aos escalões jovens.

“Estamos sempre em comunicação. No final do jogo com o Famalicão tive a oportunidade dizer que o que tem sido feito nos sub-19 e equipa B está a ser observado. Estamos atentos a alguns dos nossos jovens jogadores para que quando que achar que têm a oportunidade se mostrar na equipa principal o vão fazer. Mas sempre de uma forma sustentada em bases essenciais. Não é lançar por lançar”, concluiu.