Taça de Portugal feminina: Racing Power mais eficaz derrota SC Braga em jogo equilibrado (1-2)

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Taça de Portugal feminina: Racing Power mais eficaz derrota SC Braga em jogo equilibrado (1-2)

Segunda mão agendada para 21 de abril no Jamor
Segunda mão agendada para 21 de abril no JamorFPF
O Racing Power venceu esta quinta-feira no reduto do SC Braga por 2-1, na primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal feminina de futebol, com o segundo golo a chegar nos descontos e de grande penalidade.

Recorde aqui as incidências do encontro

Maria Miller pôs as bracarenses na frente, aos 27 minutos, mas Jenna Tivnan empatou para as forasteiras no início do segundo tempo (53) e Inga Konst, de penálti, já no período de compensação (90+4), virou o resultado favoravelmente ao Racing Power.

As visitantes levam, assim, vantagem para a segunda mão, prevista para 21 de abril, no Estádio do Jamor.

O SC Braga pode queixar-se de si próprio, porque, antes de sofrer o segundo golo, teve uma soberana oportunidade para se colocar novamente na frente, mas Sissi rematou à barra na conversão de uma grande penalidade, aos 60 minutos.

Diante de um praticamente deserto 1.º de Maio, as duas equipas, empatadas no terceiro lugar do campeonato, com 32 pontos (embora o Racing Power tenha dois jogos em atraso), protagonizaram um duelo equilibrado e sem grandes ocasiões de golo, com a eficácia nos penáltis a fazer a diferença.

Aos 27 minutos, bem servida por Beatriz Fonseca, já dentro da área, Maria Miller teve a frieza para tirar uma adversária do caminho e rematar cruzado de pé esquerdo.

A equipa forasteira, derrotada inesperadamente na última jornada da Liga em casa, pelo Valadadares Gaia (1-0), foi inofensiva na primeira parte e João Marques reforçou o ataque após o intervalo, com a entrada de Inês Gonçalves e a saída da central Tânia Riso.

A alteração teve efeito, já que o Racing Power apresentou-se com outra energia e iniciativa atacante, com Jenna Tivnan, de cabeça, a dar a melhor sequência a um livre e a empatar o jogo, aos 53 minutos.

As bracarenses, que também perderam no jogo anterior (4-1 no terreno do líder Benfica), desperdiçaram depois a grande penalidade, com Sissi a atirar à barra.

A falta sobre Vitória Almeida, que originou o penálti, lesionou a avançada brasileira, que teve que sair pouco depois.

Aos 90 minutos, Mariana Azevedo tocou com a bola com o braço na área, lance que a juíza não vislumbrou nenhuma falta, mas alertada pelo VAR, e depois de visionar as imagens, informou as bancadas da irregularidade.

Inga Konst rematou sem apelo, aos 90+4 minutos, e deu a vitória ao Racing Power.