SEJD satisfeito pela reunião com Santa Casa sobre apoios ao desporto

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
SEJD satisfeito pela reunião com Santa Casa sobre apoios ao desporto
João Paulo Correia, secretário de Estado da Juventude e do Desporto
João Paulo Correia, secretário de Estado da Juventude e do Desporto
Miguel Rato/RR
A manutenção dos patrocínios concedidos pela Santa Casa da Misericórdia de Lisboa (SCML) ao setor do desporto foi esta quarta-feira enaltecida pelo secretário de Estado da Juventude e do Desporto (SEJD), após uma reunião entre as duas partes.

Aquilo que foi anunciado como uma redução ou como cortes ao setor pela SCML não se irá concretizar, daí que considere que tenha sido uma reunião muito positiva. Registámos também a sensibilidade e a disponibilidade da Santa Casa em responder a uma questão que tem sido estratégica para o Governo”, salientou à agência Lusa João Paulo Correia.

A secretaria de Estado da Juventude e do Desporto revelou hoje que a SCML vai manter este ano os patrocínios às entidades desportivas, que, em 2024, passam a ser repartidos por aquela organização e pelo Governo, desconhecendo-se a contribuição de cada uma.

Isso ficará para o trabalho das próximas semanas. Em 2024, manter-se-ão os montantes e os patrocínios. Isso é o que interessa às entidades desportivas”, reforçou o SEJD, uma semana depois de ter sido noticiada a necessidade de a SCML, que mudou de provedora em maio, rever os seus apoios às federações e ao Comité Olímpico de Portugal (COP).

A medida era argumentada pela Santa Casa com a “conjuntura económico-social que se vive”, que implicou “novas exigências sociais e financeiras” junto das “populações mais vulneráveis”, levando mesmo o governante a pedir uma reunião urgente com Ana Jorge.

Estes apoios representam montantes inexpressivos face ao financiamento do Estado ao desporto. Ou seja, caso existisse um corte, nunca colocaria em causa o desenvolvimento desportivo de Portugal. Isso nunca esteve em causa. Agora, apesar de se estar a falar de montantes muito reduzidos, procurámos com que estes montantes também não caíssem nem que isto fosse interpretado num sinal contrário àquilo que deverá ser uma tendência, que é para o crescimento das verbas dedicadas ao desporto”, frisou João Paulo Correia.

As pretensões da SCML foram conhecidas a menos de um ano dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Paris2024, mas, em comunicado, a secretaria de Estado da Juventude e do Desporto lembrou que “nenhum desses patrocínios” está associado aos dois programas.

A preparação olímpica para Paris2024 contém um financiamento de 22 milhões de euros (ME), que é garantido a 100% por parte do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ). A preparação paralímpica tem 9,2 ME. Nunca os patrocínios da Santa Casa às entidades desportivas estiveram destinados a estas duas preparações. Nem um euro. Ou seja, desse ponto de vista, também nunca teve nada em causa”, complementou o SEJD.

Entre as entidades apoiadas pelos Jogos Santa Casa, de acordo com a lista publicada no seu site, constam o COP, o Comité Paralímpico de Portugal (CPP) e a Confederação do Desporto de Portugal (CDP), bem como as federações de andebol, atletismo, ciclismo, canoagem, equestre, futebol, ginástica, judo, motociclismo, natação, patinagem, remo, râguebi, surf, ténis de mesa, triatlo, voleibol e de desporto para pessoas com deficiência.