Naomi Osaka em lágrimas após derrota com Iga Swiatek mas admite: "Já me senti pior"

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Naomi Osaka em lágrimas após derrota com Iga Swiatek mas admite: "Já me senti pior"

Osaka diz que se sentiu reconfortada ao escrever no seu diário após o jogo
Osaka diz que se sentiu reconfortada ao escrever no seu diário após o jogoAFP
Naomi Osaka (26 anos) disse que chorou após a épica derrota desta quarta-feira, no Open de França, com Iga Swiatek (22), mas insistiu: "Já me senti pior".

Recorde as incidências da partida

A super-estrela japonesa liderava por 5-2 no último set de um confronto emocionante da segunda ronda e chegou a ter um match point.

Mas a atual campeã Swiatek recuperou de forma impressionante para registar uma vitória por 7-6(1), 1-6, 7-5 que a manteve na rota do quarto título em Paris e do quinto Grand Slam.

A antiga número um mundial, Osaka, agora classificada em 134.º lugar, participou apenas no segundo Grand Slam desde que deu à luz a sua filha em julho passado.

"Foi o jogo mais divertido que já joguei, o ambiente era incrível, foi muito memorável para mim", disse.

"Já me senti pior, isso é certo", acrescentou.

Apesar da derrota, Osaka disse que só pode tirar pontos positivos do jogo, que se prolongou por quase três horas e no qual desferiu 54 winners.

"Chorei quando saí do court, mas depois pensei como no ano passado estava a ver a Iga ganhar o Open de França enquanto estava grávida", disse Osaka, depois de um encontro em que ganhou mais pontos, teve mais 17 winners e mais quebras de serviço - cinco contra três.

"Na altura, o meu sonho era jogar contra ela, por isso, quando penso nisso, tento não ser muito dura comigo própria. Estou aqui apenas para sentir as vibrações. Sou uma miúda de campo duro, gostaria de jogar contra ela num campo duro", assumiu.

Osaka, que nunca passou da terceira ronda em Paris, chegou ao torneio com muito ténis em terra batida no seu currículo.

Chegou aos oitavos de final em Roma, eliminando as 20 melhores jogadoras Marta Kostyuk e Daria Kasatkina pelo caminho.

"Sinto que estou a jogar melhor porque trabalhei em aspetos específicos", acrescentou.

"Mas os resultados não estão a aparecer", lamentou.

Osaka disse que também se confortou com o seu diário pessoal, que atualizou imediatamente após o jogo.

"Escrevi 'Estou orgulhosa de ti'", disse. "Dizer isso a mim própria dá-me força", confessou.