Ons Jabeur e a aposta no ténis feminino em Roland Garros: "Talvez a altura ideal seja agora"

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Ons Jabeur e a aposta no ténis feminino em Roland Garros: "Talvez a altura ideal seja agora"

Jabeur venceu Osorio esta quarta-feira
Jabeur venceu Osorio esta quarta-feiraAFP
Ons Jabeur afirmou que o Open de França tem de "tentar mais" quando se trata de promover o ténis feminino no horário nobre do torneio.

Nos últimos dois anos, apenas dois jogos de singulares femininos foram transmitidos num total de 20 sessões noturnas.

"Vou voltar a meter-me em sarilhos, não é? Sei que estão a tentar. Gostava que tentassem mais", disse a tunisina Jabeur, número nove do mundo, depois de ter chegado aos 32 avos de final, ao derrotar Camila Osorio em três sets, esta quarta-feira.

"Não é algo que se mude num dia. Estou a ver televisão todos os dias. Muitos homens jogam mais do que as mulheres, e é a verdade", acrescentou.

Nos primeiros quatro dias do torneio de 2024, todas as sessões noturnas foram dedicadas aos singulares masculinos - com o número um do mundo e atual campeão Novak Djokovic, o segundo classificado Jannik Sinner e o três vezes vencedor de grandes torneios Andy Murray.

Para Jabeur, o jogo de destaque esta quarta-feira foi o duelo entre a número um do mundo Iga Swiatek e a também tetracampeã do Grand Slam, Naomi Osaka.

No entanto, esse duelo encerrou a sessão da tarde na Court Philippe Chatrier, com o confronto de Sinner contra o veterano francês Richard Gasquet a ocupar o horário nobre da noite.

Jabeur espera que a diretora do torneio, Amelie Mauresmo, antiga número um mundial, consiga equilibrar a programação.

"Não vou mentir. Acho que a Amelie está a fazer um trabalho fantástico e está a tentar mudar isso, mas estas coisas levam tempo", acrescentou Jabeur.

"Gostava de poder ver a mudança mais vezes. Gostava de ver o jogo de hoje entre Osaka e Iga como uma sessão noturna. Mas é uma escolha. Eu entendo isso. Talvez a altura ideal seja agora. Vou continuar a insistir e desejo realmente ver promover mais o desporto feminino em geral e o ténis feminino em geral", defendeu.