Atletas olímpicos formados para transpor experiência em palestras

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Atletas olímpicos formados para transpor experiência em palestras
Tamila Holub participa na 5.ª edição da Academia Fale Menos Comunique Mais
Tamila Holub participa na 5.ª edição da Academia Fale Menos Comunique Mais
SC Braga
A quinta edição do Programa Atletas Speakers, da Comissão de Atletas Olímpicos (CAO), formou desportistas como Tamila Holub e Bárbara Timo, transpondo as experiências “ímpares” em palestras e momentos narrativos para empresas, escolas ou outros públicos.

Com a sessão final agendada para terça-feira, o programa procurou capacitar atletas como palestrantes e oradores em eventos e outros contextos, para “que possam comunicar de forma mais eficaz e impactante, inspirando e motivando” as plateias.

Segundo a apresentação, a formação personalizada desenvolvida pela Academia Fale Menos Comunique Mais já formou outros nomes grandes do desporto nacional, como os medalhados olímpicos Telma Monteiro, Fernando Pimenta e Emanuel Silva, além da judoca Catarina Costa ou a atleta Marta Pen.

Na quinta edição está a nadadora olímpica Tamila Holub, que admite, à Lusa, que teve “sempre alguma facilidade em ser comunicativa”.

“É algo que valorizo muito, mas compreendo, também por ser atleta, que há sempre margem para melhorar. Já tinha ouvido falar deste ciclo e, quando apareceu a oportunidade, esta época, achei ótimo”, conta.

Com “reflexões individuais”, a especificidade de cada atleta, que pode ter vida de conciliação entre carreira, estudos, família ou trabalho, aprendeu “um monte de coisas novas”.

“Já tenho feito palestras nas escolas, mas isto por iniciativa própria. Não tenho qualquer intenção monetária, é porque quero interessar os miúdos pelo desporto, porque isto está bastante mau hoje em dia. Faço por prazer e pela energia que recebo de volta. Realmente, quis mudar de visão, de público, e já ter um discurso para pessoas mais velhas, empresas”, revela.

Essa “experiência de vida que traz ser atleta”, completa, permite-lhe tentar transmitir “uma visão totalmente diferente que seja interessante para ambos os lados”.

No outro espetro do à vontade com a comunicação, admite, está a judoca Bárbara Timo.

“Sou muito tímida e é difícil para mim falar em público. Orientaram-me muito na oratória, para perder um pouco da vergonha. Espero ter a oportunidade de continuar a melhorar”, afirma, em entrevista à Lusa.

Esta formação “foi muito esclarecedora” para poder transpor para palestras as “muitas histórias para contar e muitas experiências, o que por vezes é difícil”.

“O curso foi muito bom para aprender e esquematizar como contar as minhas histórias de forma mais orientada, por público-alvo, por empresas. Foi muito esclarecedor”, refere.

O deporto enquanto “lugar para enfrentar medos, receios e ansiedades” passará pela mensagem que vai levar a eventos e conferências, até porque “as pessoas acham que a alta performance é muito diferente da vida quotidiana, ma não”.

“A minha vida é em busca de um objetivo, por mim e pelo país. Estas iniciativas ajudam-nos e podem inspirar outras pessoas”, remata.