Basquetebol: FC Porto dá a volta à Ovarense e vai defrontar o Benfica na final (74-77)

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Basquetebol: FC Porto dá a volta à Ovarense e vai defrontar o Benfica na final (74-77)

FC Porto deu a volta ao marcador para vencer em Ovar
FC Porto deu a volta ao marcador para vencer em OvarFederação Portuguesa de Basquetebol
O FC Porto teve de correr atrás do prejuízo, mas sentenciu a meia-final do campeonato nacional de basquetebol esta terça-feira, após bater a Ovarense por 74-77, selando a eliminatória em 3-1 para conseguir o apuramento para a final, onde já estava o Benfica.

Recorde aqui as incidências do encontro

O Benfica já tinha tirado o bilhete para a final do campeonato nacional de basquetebol depois da vitória de segunda-feira frente ao Benfica e esta terça-feira tudo podia ficar decidido. Após eliminar o Sporting, a Ovarense tentou mais uma surpresa frente ao FC Porto e entrou obrigada a vencer para levar a meia-final para a negra.

Depois de vencer a primeira partida na Dragão Arena (70-73), duas derrotas consecutivas (77-60 e 83-86) deixaram o FC Porto a um jogo da passagem, mas a equipa de Fernando Sá teve de ir ao limite para derrotar o conjunto de Ovar que, empurrado pelos seus adeptos, entrou forte no encontro.

Se os três primeiros jogos foram interessantes, esta foi uma partida marcada pelo equilíbrio, muito graças às capacidades defensivas das duas equipas. A Ovarense começou por se superiorizar numa fase inicial, mas o FC Porto foi capaz de responder à altura.

A equipa da casa liderou o final do primeiro quarto para chegar aos cinco pontos de vantagem, mas o FC Porto reduziu a desvantagem em cima da buzina (17-14).

Motivada pela boa fase na reta final do primeiro quarto, a Ovarense manteve o nível para liderar todo o segundo quarto e chegar a uma vantagem superior a 10 pontos (41-30), no entanto a reentrada de Omlid, que mostrou capacidade para defender Odigie, reequilibrou a balança rumo ao intervalo (41-35).

Apesar de permitir a liderança do adversário em quase todo o encontro, a capacidade defensiva do FC Porto (melhor nos desarmes, roubos e nos pontos de turnovers) foi determinante para manter os dragões na partida. O outro fator chamou-se Miguel Queiroz.

Com uma grande exibição do poste (duplo-duplo com 21 pontos e 11 ressaltos), o FC Porto garantiu mais eficácia debaixo do cesto e contou com a superioridade nos ressaltos ofensivos (10.4) para voltar a discutir o resultado e levar as decisões para o derradeiro quarto, depois de verificado o empate após terminado o 3.º quarto (52-52).

As emoções tomaram conta da Arena de Ovar, de tal forma que um adepto precisou mesmo de ser assistido, mas o FC Porto não tremeu e acabou por sentenciar a partida e a eliminatória ao saltar definitivamente para a frente do marcador (60-61) para não deixar escapar o triunfo final (74-77).