Exclusivo: Fabrizio Romano aborda 18 horas de trabalho diário e expetativas do Liverpool

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Exclusivo: Fabrizio Romano aborda 18 horas de trabalho diário e expetativas do Liverpool
Fabrizio Romano falou com o Flashcore sobre a rede de contactos e expetativas para este mercado de transferências
Fabrizio Romano falou com o Flashcore sobre a rede de contactos e expetativas para este mercado de transferências
Profimedia
18 milhões de seguidores no Instagram, 16 milhões no Twitter. Este é o atual recorde do jornalista de futebol mais popular da atualidade, o italiano Fabrizio Romano, de 30 anos. O insider que sabe de todas as movimentações do mercado de transferências e partilha toda a informação com os adeptos ganhou enorme popularidade nos últimos anos. A sua frase "Here we go!", que anuncia uma transferência acordada entre clubes, tornou-se extremamente popular.

Em entrevista exclusiva com o Flashscore, Fabrizio Romano partilha algumas curiosidades e ideias sobre a sua atarefada vida profissional.

"Espero não perder uma transferência importante durante a nossa conversa", foi desta maneira que começou a nossa entrevista. "Eu tomo conta de todos os meus canais de redes sociais, então pode acontecer eu perder alguma coisa durante a entrevista. Se tudo correr bem, terei sorte e não acontece nada", disse.

- Fabrizio, sempre quis saber: quanto tempo passa no telemóvel todos os dias?

- "Varia de dia para dia. Às vezes é uma loucura. Nesses dias agitados, passo 18 horas ao telemóvel. Assim que o mercado de transferências abre, passo o dia inteiro ao telemóvel. Nesses dias não há tempo para hobbies ou família, estou sempre a trabalhar. Felizmente, as pessoas à minha volta já sabem que o meu trabalho exige muita dedicação, por isso todos respeitam".

Veja aqui a entrevista completa
Flashscore

E quanto tempo é que dorme?

- "Não muito durante o período de transferências. Às vezes três horas, outras cinco. Nunca sei com antecedência o que vai acontecer e a que horas me vou deitar. Mas durante o período de transferências, a média é de quatro horas por dia."

É seguido por milhões de pessoas nas redes sociais e cada publicação sua é comentada por adeptos desse clube. Está a viver o seu sonho?

- "Nunca sonhei com o número de seguidores que teria. Afinal, quando comecei, a palavra seguidor não era usada com o significado atual. O meu sonho era escrever para um grande jornal ou trabalhar na televisão. Sempre quis dar informações positivas às pessoas e fazer um trabalho útil. Gosto mais quando faço os adeptos felizes com a minha mensagem, quando estão contentes com um novo jogador ou com uma renovação de contrato. É um privilégio extraordinário fazer com que as pessoas se sintam assim. Sinceramente, nunca sonhei que a minha carreira se desenvolvesse desta forma, mas sempre foi o meu sonho transmitir mensagens positivas às pessoas."

Muitas pessoas devem estar a perguntar onde é que vais para obter toda essa informação...

- "Nunca penso em quantos recursos tenho ou se devo arranjar mais. Apenas deixo fluir, um dia de cada vez. Esse é o meu segredo: conhecer pessoas novas, ficar a conhecê-las, manter-me em contacto com as pessoas que conheço há 15 anos. O truque é expandir naturalmente a tua rede, não podes planear. Não digo a mim próprio que tenho de conhecer alguém do Real Madrid ou do Chelsea hoje. Simplesmente já conheço uma pessoa e ela pode passar-me para outra, é um pouco como um dominó. Tento manter uma boa relação com os agentes dos jogadores menos conhecidos e com os que representam as grandes estrelas. Para mim é a mesma coisa, telefono a toda a gente, falo com eles. Honestamente, as maiores notícias que tive vieram sempre de fontes mais pequenas. É por isso que respeito todos os que fazem parte da minha rede de contactos".

Vamos ao futebol propriamente dito. Quem acha que vai ser o clube mais ativo neste mercado de transferências de verão?

- "Continuo a esperar muita atividade do Chelsea, que já vendeu muitos jogadores e foi fundamental para eles. Agora podem comprar muitos jogadores. Penso que vão procurar um novo guarda-redes ou defesa, por exemplo, embora possam utilizar Colwill, que vai regressar de empréstimo. Precisam de, pelo menos um, provavelmente dois médios. Por isso, vão estar muito ocupados. Depois, claro, o Barcelona que quer muitos jogadores novos, também vai estar muito ocupado".

Qual é o clube de que espera um maior salto, a nível de desempenho, na próxima época em comparação com a anterior?

- "Espero muito do Liverpool. Na época passada, as prestações foram dececionantes, mas também tiveram muito azar. Tiveram lesões e, no geral, tiveram uma época azarada, o que acontece às vezes e faz parte do futebol. A próxima época vai ser diferente, Mac Allister é uma excelente aquisição por pouco dinheiro e vai ajudá-los muito. Penso que toda a equipa vai emanar uma energia diferente e será uma época muito importante para eles.

Que conselho daria às pessoas que sonham em tornar-se um insider do futebol como você?

- "O único caminho é o trabalho árduo. Hoje em dia há muitas oportunidades graças às redes sociais. Quando comecei, eram poucos os que conseguiam afirmar-se nesta área. Agora, todos têm muitas oportunidades de contactar pessoas, escrever-lhes diretamente e descobrir algo. Toda a gente tem oportunidade de mostrar o seu talento. Mas, como disse, não se pode subestimar o trabalho árduo. É como os jogadores, nunca se deve desleixar quando se começa a ter bons resultados. Temos de continuar a trabalhar arduamente e dar o melhor de nós próprios. Construir uma rede de contactos é um trabalho a longo prazo, mas não é, definitivamente, algo inatingível. Conheci alguns dos meus amigos quando estavam na terceira divisão italiana e agora estão à frente dos maiores clubes do mundo. Então sim, tudo está ao alcance, basta não ter medo do trabalho duro."

Veja a entrevista completa a Fabrizio Romano, na qual falamos também sobre a importância da verificação de informação, o maior erro que já cometeu, e o quanto mais tempo será capaz de continuar a fazer o seu trabalho ao ritmo atual: