Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Fernando Pimenta e Inês Barros recebem prémios de excelência do COP

Fernando Pimenta recebeu prémio de excelência do COP pela sexta vez
Fernando Pimenta recebeu prémio de excelência do COP pela sexta vezInstagram
O canoísta Fernando Pimenta, pela sexta vez, e a atiradora Inês Barros receberam esta quinta-feira os Prémios de Excelência do Comité Olímpico de Portugal (COP), durante a Celebração Olímpica, que decorreu em Lisboa.

Vencedor do Prémio Prestígio em 2022 e do de Excelência entre 2015 e 2019, o canoísta de Ponte de Lima, de 34 anos, volta a ser homenageado pelo COP no final de mais um ano em que conquistou 13 medalhas em competições internacionais.

Entre estas medalhas, destaque para o ouro nos Mundiais em K1 1.000 metros, que lhe permitiu tornar-se no primeiro português a juntar três títulos mundiais numa disciplina olímpica.

Dos Mundiais de Duisburgo, na Alemanha, Pimenta trouxe ainda a prata em K1 5.000 e o bronze em K1 500, conquistando pouco dias depois ainda duas medalhas de ouro nos Mundiais de maratona, na prova curta de K1 e na longa de K2, com José Ramalho.

Inês Barros, 12 anos mais jovem do que Pimenta, vai ser agraciada pela primeira vez com o Prémio Excelência, depois de se ter sagrado campeã europeia de fosso olímpico, garantindo a primeira vaga para Portugal nas provas femininas de tiro com armas de caça em Jogos Olímpicos.

Antes de garantir o título europeu, Inês Barros já tinha conquistado outras três medalhas de ouro em provas internacionais, na prova individual da Taça do Mundo do Egito e nas provas de equipas mistas dos Mundiais e da Taça do Mundo do Chipre, ao lado de João Paulo Azevedo.

Depois de ter sido campeã do mundo júnior, a surfista Francisca Veselko recebeu o Prémio Juventude, que também foi entregue a João Nuno Batista, campeão europeu e mundial júnior de triatlo e que conquistou também a prata na Taça da Europa de seniores.

Fernando Pimenta ainda recebeu o prémio destinado a campeões mundiais de provas olímpicas, tal como os também canoístas João Ribeiro e Messias Baptista, ouro em K2 500, e o ciclista Iúri Leitão, que venceu a prova de omnium, nos Mundiais de pista.

O Prémio Mérito Desportivo foi entregue a Gabriel Mendes, coordenador técnico das seleções de ciclismo e selecionador de pista, e Pedro Brandão, que foi o árbitro representante da Europa em Tóquio2020 na prova de natação em águas abertas.

Vasco Lynce foi galardoado com a Ordem Olímpica Nacional, após um longo percurso ligado ao desporto, no qual se destacam o cargo de presidente do COP, de 1993 a 1996, e de secretário de Estado do Desporto entre 1999 e 2000, além de vários postos nacionais e internacionais.

O grego Spyros Capralos, presidente do Comité Olímpico da Grécia e dos Comités Olímpicos Europeus desde 2021, recebeu o Prémio Prestígio, depois de ter ajudado à realização dos terceiros Jogos Europeus.

O Clube Náutico de Ponte de Lima recebeu o Prémio Olímpico, José António Maia, professor da Faculdade de Desporto da Universidade do Porto, foi galardoado com o Prémio Investigação Científica, e a Gustavo Marcos, criador dos Jogos de Quelfez, em Olhão, foi entregue o Prémio Educação Olímpica.