Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Euro-2024: A reação dos jogadores portugueses à vitória sobre a República Checa (2-1)

Atualizado
Pepe em ação por Portugal
Pepe em ação por PortugalProfimedia
Pepe, Vitinha, Francisco Conceição, Diogo Dalot e Bernardo Silva foram os porta-vozes de Portugal após o triunfo na primeira jornada do Grupo F do Campeonato da Europa.

Diogo Dalot (defesa de Portugal): 

"Mesmo estando por baixo do resultado acreditámos que íamos conseguir virar o jogo. um jogo complicado, sabíamos que ia ser difícil, contra uma equipa muito física. Controlámos o jogo. Sofremos o golo, mas fomos em busca da vitória. É o que temos de tirar deste jogo. Temos de tentar melhorar em alguns aspetos, houve alguma ansiedade com bola, mas estou muito feliz com a vitória. "

"Acho que ter mais calma com bola, precipitámo-nos algumas vezes na primeira parte. Defensivamente controlámos, reagimos bem à perda, raramente sofremos grandes contra-ataques. Foi positivo e agora é tentar melhorar e ter mais controlo do jogo ofensivamente."

"Cristiano Ronaldo? Muito bem, muito concentrado, muito bem fisicamente e está aí pronto para fazer golos."

Bernardo Silva (médio de Portugal): 

“Os jogos nunca são fáceis nestas competições. Seleção checa que defende baixo em muitos momentos, mas metemos mais jogadores na área para acabar as jogadas. O Francisco Conceição e o Pedro Neto deram-nos isso. Muito contentes por ganhar."

"São três pontos e nada mais. Muito motivados para acabar o grupo em primeiro lugar. Agora, temos um longo caminho pela frente. Saio daqui com a impressão que a seleção checa é muito forte e pode criar problemas a outras seleções”.

Francisco Conceição (avançado de Portugal):

"Vi que o jogo estava difícil, entrei e queria ajudar a equipa a chegar ao golo, foi isso que consegui: ajudar a equipa".

"Claro que há, sofro muito por dentro e tento não mostrar isso. Tenho de estar tranquilo, foi isso que tentei fazer e sabia que podia chegar o momento de entrar".

"O meu objetivo é ajudar a equipa, felizmente consegui, estou sempre pronto quando o mister precisa".

Leia a crónica da partida

Vitinha (médio de Portugal):

Foi difícil? "Sim, foi. Queríamos entrar fortes e mostar a nossa força. Infelizmente sofremos 1º, na 1ª vez que vão à baliza. Foi um grande golo de fora da área, mas mostrámos toda a nossa frieza e resiliência. Não é fácil a perder, mantivemos a calma e frieza para o empate. Conseguimos. Acreditámos sempre até ao fim para o 2-1 e felizmente conseguimos com uma grande ajuda dos jogadores que entraram. Uma pequena nota, uma grande... Somos uma verdadeira equipa quando os que estão de fora entram e acrescentam".

Pouco espaço: "Temos de manter calma. Não é passividade, é continuar com bola, bascular, insistir atá no mesmo lado quanto temos superioridade. Tentámos, queremos fazer mais. Mas é a entrada, há muita emoção e vontade. Há que manter a frieza e a bola".

Reação: "É uma grande demonstração de força da equipa. Todos, os que entraram foram fenomenais. Grande melhoria da nossa parte e vai fazer a diferença".

O raio de ação de Vitinha
O raio de ação de VitinhaAFP/Opta by Stats Perform

Pepe (defesa de Portugal): 

"Foi um jogo difícil, não merecíamos ter sofrido este golo. A equipa foi extraordinária, sempre por cima. O nosso mister avisou para manter a calma, que poderíamos sofrer, mas tínhamos de manter a identidade e conseguimos. Com todo o stress conseguimos manter a tranquilidade e no final o resultado positivo".

"A equipa esteve bem, encontrámos muitas vezes largura, o um para um com o Leão, depois na segunda parte com o Diogo Jota e o Cancelo no lado direito. Tivemos lances por dentro que poderíamos ter feito o golo, a equipa trabalhou bem, com sentido e fazer que trabalhámos nos treinos".

Reveja aqui as principais incidências da partida