Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Euro-2024: As oito estrelas mais aguardadas na Alemanha

Bellingham na final da Liga dos Campeões
Bellingham na final da Liga dos CampeõesAFP
Kylian Mbappé, Cristiano Ronaldo, Jude Bellingham? São várias as estrelas esperadas para brilhar no Euro-2024, de 14 de junho a 14 de julho, na Alemanha.

Kylian Mbappé

O francês de 25 anos, que mostrou o seu enorme talento na final do último Mundial-2022, com um hat-trick, apesar da derrota contra a Argentina, manteve o seu nível em 2023 (10 golos pela seleção nacional), e a braçadeira de capitão, herdada após a reforma de Hugo Lloris, não parece pesar sobre os seus ombros. Pelo contrário, o vencedor do Campeonato do Mundo de 2018 continua a ambicionar ser condecorado com a Bola de Ouro e está ciente de que o Campeonato da Europa, o único troféu que lhe falta com os Bleus, pode ser crucial para receber esse prémio. No entanto, uma segunda metade de época bastante discreta, com mais manchetes sobre a sua saída do PSG do que sobre os seus desempenhos, deixa algumas dúvidas sobre o seu estado de frescura física e mental.

Cristiano Ronaldo

CR7 é inesgotável. Parecia que a sua carreira na Seleção Nacional tinha chegado ao fim depois de ter perdido o seu lugar na equipa titular durante o Mundial-2022 no Catar. A sua transferência para o Al Nassr, da Arábia Saudita, também parecia ser um passo para uma pré-reforma dourada... Mas o cinco vezes vencedor da Bola de Ouro não parece estar pronto para pendurar as botas e foi mais uma vez decisivo para o seu país durante as eliminatórias (10 golos). O novo selecionador, Roberto Martínez, conta com o craque para conduzir Portugal a mais um título europeu, como aconteceu em 2016.

Bellingham

O prodígio do Real Madrid, com apenas 20 anos, e recentemente vencedor da Liga dos Campeões, é a ponta de lança de uma geração soberba que está a fazer sonhar a Inglaterra. Médio tecnicamente dotado e com golo (25 golos esta época em todas as competições, incluindo dois pela seleção nacional), poderá ajudar os Três Leões, finalistas em 2021, a conquistar finalmente um título internacional que lhes escapa desde o Campeonato do Mundo de 1966, uma eternidade para o país onde nasceu o futebol.

Harry Kane

Ao lado de Bellingham, Kane é o outro grande trunfo da Inglaterra. Depois de passar toda a sua carreira no Tottenham, o capitão dos Três Leões foi para o Bayern Munique aos 30 anos. Na Baviera, provou rapidamente que é um dos melhores avançados do mundo, com números espectaculares (44 golos pelo clube) que lhe permitem ir para o Campeonato da Europa com os olhos postos no cobiçado título.

Luka Modric

Após o último Campeonato do Mundo, o futuro de Modric na seleção parecia incerto. Um ano mais tarde, o jogador croata de 38 anos continua a jogar pela seleção nacional e acaba de renovar o seu contrato com o Real Madrid. Muitas vezes na luta por títulos, mas ainda sem ter conquistado nenhum (finalista do Mundial-2018, 3º no Mundial-2022), Modric terá possivelmente na Alemanha uma última oportunidade de conquistar um grande troféu com o seu país.

Rodri

Numa seleção espanhola onde faltam os grandes nomes do passado, o médio de 27 anos é a referência. A sua tenacidade no jogo exterior e o controlo da bola serão os pilares do futebol do selecionador Luis de la Fuente. A La Roja, tricampeã do torneio (1964, 2008 e 2012), precisará da melhor versão do craque do Manchester City para superar um grupo difícil contra Itália, Croácia e Albânia.

Jamal Musiala

Jamal Musiala pode ter apenas 21 anos quando a bola começar a rolar na partida de abertura na Allianz Arena, mas grande parte das esperanças da Mannschaft repousa sobre os seus ombros. Depois de Mundial-2022 em que as expectativas pesaram demais sobre ele, o jovem do Bayern de Munique está de volta ao seu melhor. Guiado pelo veterano Toni Kroos, que se reformará após o torneio, e acompanhado pelo outro fenómeno alemão, Florian Wirtz (21 anos), Musiala será um dos líderes da seleção anfitriã.

Federico Chiesa

Aos 26 anos, Chiesa é uma das poucas garantias para uma Itália hesitante, que se qualificou numa batalha difícil. Os dois golos do avançado da Juventus levaram a Azzurra a uma vitória por 5-2 sobre a Macedónia do Norte em novembro, antes de garantir a vaga no Campeonato Europeu com um empate sem golos contra a Ucrânia, na última partida.