Liga dos Campeões: Vitinha aponta o caminho das meias-finais ao PSG perante derrocada do Barça

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Liga dos Campeões: Vitinha aponta o caminho das meias-finais ao PSG perante derrocada do Barça

Vitinha fez um grande golo para relançar o PSG
Vitinha fez um grande golo para relançar o PSGAFP/Opta by Stats Perform
O médio português foi a grande figura do encontro ao apontar o golo que empatou a eliminatória e fez a reviravolta no jogo, após Raphinha ter inaugurado o marcador para os catalães e Dembelé ter empatado, já depois da expulsão de Ronald Araújo que decretou a derrocada do Barcelona. Depois do tiro de Vitinha, Mbappé fez o golo da remontada através da marca de grande penalidade e bisou nos últimos minutos, colocando um 6-4 no resultado agregado.

Recorde aqui as incidências do encontro

Nas meias-finais, o Paris Saint-Germain vai enfrentar o Dortmund, que venceu e deu a volta ao Atlético de Madrid por 4-2 em casa.

Leia aqui a crónica do Dortmund 4-2 Atlético

A festa que resultou em derrocada

A defender a vantagem de um golo trazida de Paris (2-3), Xavi fez apenas uma alteração no onze promovendo Pedri em detrimento de Sergi Roberto, mantendo João Cancelo no onze e Félix no banco de suplentes. Por outro lado, Luis Enrique pôde voltar a contar com Hakimi e Zaire-Emery, que renderam Lucas Beraldo e Kang-In Lee.

Pontuações dos jogadores
Pontuações dos jogadoresFlashscore

O Paris Saint-Germain tinha a responsabilidade de entrar melhor para tentar dar a volta no Olímpico de Montjuic e mostrou ao que veio, somando vários remates - sem perigo - à baliza de Ter Stegen. Os culés espreitavam o contra-ataque e, no primeiro lance de perigo, o menino Lamine Yamal deixou Nuno Mendes nas covas para, na linha de fundo, cruzar para o desvio algo fortuito de Raphinha, inaugurando o marcador aos 12 minutos.

Foi o terceiro golo do ex-Sporting e Vitória SC na eliminatória depois de um bis no Parque dos Príncipes, sendo que, pouco depois, Lewandowski trabalhou muito bem na área, mas atirou por cima da trave. Na resposta, o adormecido Mbappé apareceu em zona de finalização com um remate forte, mas Ter Stegen aplicou-se com uma grande defesa. 

Era o primeiro sinal da derrocada que estava por vir: no minuto seguinte, Ronald Araújo fez um mau passe e, no seguimento, derrubou Barcola à entrada da área e viu o vermelho direto. Xavi foi obrigado a mexer, tirou a irreverência de Yamal e lançou Iñigo Martínez que, pouco depois, viu cartão amarelo. 

No livre, Dembelé atirou perto da trave. Recebido com os melhores assobios e apupos dos adeptos blaugrana, o francês estava a fazer uma má exibição, mas acabou por aplicar a lei do ex, concluindo no segundo poste um excelente cruzamento de Barcola, após boa jogada desenhada por Vitinha, aos 41 minutos.

Em cima do intervalo, o extremo ficou a escassos centímetros de assinar a reviravolta e igualar a eliminatória que, minuto a minuto, parecia fugir cada vez mais das mãos do Barça. No reatamento, o PSG fincou o pé no acelerador, armou o cerco à área contrária, com Ter Stegen a fazer mais uma grande defesa a remate de Hakimi e Fabian Ruiz a atirar perto do poste depois de mais uma jogada desenhada por Vitinha.

Estatísticas no final do jogo
Estatísticas no final do jogoOpta by Stats Perform

Vitinha aponta o caminho

O médio português assumia-se como a figura maior dos parisienses e acabaria mesmo por assinar o golo que empatava a eliminatória. Num canto curto, a defesa do Barcelona esqueceu-se do antigo dragão à entrada da área, que armou um remate forte e rasteiro, sem hipóteses para o guarda-redes alemão, aos 54 minutos. Depois de marcar em Paris, este golo 

Logo a seguir, Gundogan apareceu na grande área e disparou ao poste... A partir daí, o Barça capitulou. Xavi exagerou nos protestos e foi expulso, poucos segundos antes de João Cancelo ter uma entrada fora de tempo sobre Dembelé na área, comentendo grande penalidade. Chamado a converter, era óbvio que Mbappé ia marcar... Remate forte e colocado, perante um Ter Stegen impotente, aos 61 minutos.

Os catalães estavam perdidos na emoção, não encontravam forma de reagir e os protestos vindos do banco deram origem a mais uma expulsão. Gundogan caiu na área, com pedidos de penálti não atendidos pelo árbitro romeno István Kovács. Numa rara nesga de espaço, Lewandowski rematou de fora da área para boa intervenção de Donnarumma, com o destaque a ir para o corte providencial do capitão Marquinhos a impedir a recarga.

Com pouco a fazer, restava recorrer ao jogo dos bancos para tentar agitar o jogo. Luis Enrique deu prioridade à posse de bola e cerrar espaços, com as entradas de Lee Kang-In, Marco Asensio e o ex-Sporting Ugarte, enquanto Xavi arriscou tudo com João Félix, Ferran Torres e Fermín López. Em cima dos descontos, Lewandowski saiu em superioridade numérica, mas foi guloso e o lance saiu para canto.

Depois de uma defesa apertada de Donnarumma na tentativa de canto direto, o Paris Saint-Germain saiu em contra-ataque com três para zero, Ter Stegen ainda defendeu o remate de Mbappé e a recarga de Fabian Ruiz, mas nada pôde fazer quando a bola sobrou para o avançado francês na pequena área. O bis de Mbappé carimbou a passagem às meias-finais, aos 89 minutos.