Câmara da Maia nega “irregularidades” na aquisição dos terrenos para a academia do FC Porto

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Câmara da Maia nega “irregularidades” na aquisição dos terrenos para a academia do FC Porto

Academia do FC Porto vai ser construída na Maia
Academia do FC Porto vai ser construída na MaiaFC Porto
Autarquia reagiu em comunicado às acusações do vereador Francisco Vieira de Carvalho. Em causa está a assinatura do despacho para venda três dias antes da votação em Assembleia Municipal.

Esta sexta-feira, a Câmara Municipal da Maia emitiu um comunicado para rebater alegadas irregularidades no processo de aquisição do FC Porto dos terrenos onde vai construir a academia do clube. A possibilidade foi levantada pelo vereador Francisco Vieira de Carvalho.

As declarações absolutamente infelizes do vereador Francisco Vieira de Carvalho, porque inverdadeiras e injuriosas em relação Câmara Municipal da Maia, que atingem a honorabilidade da maioria que compõe o Executivo e o profissionalismo dos seus Funcionários, além de irem ser objeto de queixa ao Ministério Público, porque consubstanciam uma difamação clara, revelam que o citado vereador, cuja credibilidade pública é nula, na sua ânsia de protagonismo, não se coíbe, pelo seu comportamento irresponsável, de prejudicar não só a imagem da instituição Câmara Municipal da Maia como os superiores interesses do Concelho e das suas gentes, atitude já habitual, mas que urge por cobro, pelas vias à disposição num Estado de Direito Democrático”, pode ler-se.

Leia o comunicado na íntegra:

A Câmara Municipal da Maia desmente categoricamente que em relação à hasta pública realizada pelo Município de terrenos de sua propriedade que foram adquiridos pelo Futebol Clube do Porto para a construção da sua Academia, se tenha verificado qualquer irregularidade e muito menos qualquer ilegalidade, estando completamente disponível para fazer prova documental disso mesmo a qualquer entidade inspetiva ou judicial.

 Para a Câmara Municipal da Maia todas as notícias publicadas sobre essa matéria resultam de informações falsas prestadas por manifesta ignorância ou má-fé. E revelam, sobretudo, um profundo desconhecimento sobre as normas aplicáveis à publicação de anúncios de hastas públicas no Diário da República, regulada pela Portaria 318-A/2023, de 25 de outubro.

 As declarações absolutamente infelizes do vereador Francisco Vieira de Carvalho, porque inverdadeiras e injuriosas em relação Câmara Municipal da Maia, que atingem a honorabilidade da maioria que compõe o Executivo e o profissionalismo dos seus Funcionários, além de irem ser objeto de queixa ao Ministério Público, porque consubstanciam uma difamação clara, revelam que o citado vereador, cuja credibilidade pública é nula, na sua ânsia de protagonismo, não se coíbe, pelo seu comportamento irresponsável, de prejudicar não só a imagem da instituição Câmara Municipal da Maia como os superiores interesses do Concelho e das suas gentes, atitude já habitual, mas que urge por cobro, pelas vias à disposição num Estado de Direito Democrático.