Pote de ouro cada vez mais perto: Sporting bate Famalicão e alarga distâncias

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Pote de ouro cada vez mais perto: Sporting bate Famalicão e alarga distâncias

Atualizado
Pedro Gonçalves marcou à antiga equipa
Pedro Gonçalves marcou à antiga equipaLUSA/Opta by Stats Perform
Sete pontos de diferença! O Sporting venceu o jogo em atraso frente ao Famalicão, para a jornada 20 da Liga Portugal, e cavou uma distância ainda maior para o Benfica, afastando defitivamente o FC Porto das contas do título. Um golo de Pedro Gonçalves frente à antiga equipa foi decisivo para o triunfo do conjunto de Rúben Amorim, que fica cada vez mais perto de se sagrar campeão nacional.

Recorde as principais incidências da partida

A lenda diz que no fim do arco-íris há um pote de ouro para aquele que percorrer todo o caminho. É esse pote que o Sporting persegue. A viagem é longa e ainda não chegou ao fim, mas com o GPS a apontar cada vez menos quilómetros até à chegada, os sportinguistas já pensam na fortuna que vão encontrar no final da época.

As pontuações dos jogadores
As pontuações dos jogadoresFlashscore

O atraso da partida em Famalicão trouxe polémica, ou não fosse este o futebol português, mas as duas equipas souberam passar por cima disso. Os famalicenses chegaram ao acerto de contas com novo treinador e na melhor forma da época, enquanto os leões cumpriram o objetivo que tinham traçado para esta partida - regressar a Famalicão na liderança da Liga Portugal sem depender deste jogo.

No entanto, este era um encontro decisivo para as contas do campeonato. Matematicamente, o FC Porto ficava já arredado do título em caso de vitória leonina, mas acima de tudo eram os sete pontos de diferença para o Benfica que interessavam a Rúben Amorim. O tal pote de ouro ali tão perto...

Havia dúvidas sobre a forma como o Sporting iria gerir a pressão desta partida, até porque o Famalicão, que tinha empatado no Dragão, tem causado dificuldades aos leões a jogar em casa, mas o líder não sentiu o peso da responsabilidade.

As estatísticas da partida ao intervalo
As estatísticas da partida ao intervaloOpta by Stats Perform

Focado no tal ouro no final do arco-íris, a equipa verde e branca dominou praticamente toda a primeira parte e encontrou espaço no flanco direito para começar a causar dificuldades ao Famalicão, que não contou com Francisco Moura, castigado para esta partida.

Para ser possível assistir ao arco-íris, é preciso um misto de chuva, sol e timing para estar no sítio certo à hora certa. Foi assim que Trincão encontrou Daniel Bragança (13 minutos), numa combinação entre os dois leões renovados que foi travada a meias pela luva de Luiz Júnior e a trave da baliza do Famalicão. Um momento digno dos melhores quadros, numa altura em que o sol já se punha.

Não foi nesse lance que o Sporting abriu o marcador, mas a equipa verde e branca não tardou a encontrar um caminho mais direto para a baliza de Luiz Júnior. Dando razão a Amorim, Gyökeres foi importante mesmo sem marcar e desbloqueou a jogada para Trincão oferecer o golo a Pedro Gonçalves. O tal Pote de ouro ficou à mercê do pé direito do ex-Famalicão, que voltou a marcar à antiga equipa (19 minutos).

Durante mais de 35 minutos, só deu mesmo Sporting. Sem rematar à baliza, o Famalicão arriscou pena mais pesada logo após sofrer o golo de Pedro Gonçalves, quando o médio foi pisado por Topic na área da equipa famalicense. Fábio Veríssimo e o VAR mandaram jogar, apesar das queixas justificadas do médio leonino que podiam motivar um 0-2 mais tranquilo para o Sporting.

Só que não há viagem longa sem curvas mais apertadas ou buracos na estrada, especialmente se o caminho for feito por estradas nacionais. Antes do intervalo, o Famalicão mostrou intenções de querer acordar, sempre empurrado por Gustavo Sá e sobretudo por Chiquinho, que forçou o amarelo a Diomande e a consequente substituição do costa-marfinense ao intervalo, dando o lugar a Eduardo Quaresma.

As estatísticas no final do encontro
As estatísticas no final do encontroOpta by Stats Perform

Não foi forçosamente pela entrada do internacional sub-21 que o jogo mudou de figura na segunda parte, até porque Quaresma entrou bem na partida, mas o Famalicão, sempre a procurar Chiquinho na esquerda, cresceu após o intervalo.

Famalicão deu sempre prioridade ao flanco esquerdo na hora de atacar
Famalicão deu sempre prioridade ao flanco esquerdo na hora de atacarLUSA, Opta by Stats Perform

Um crescimento controlado, diga-se. Com um Sporting muito forte na reação à perda (Hjulmand foi gigante neste aspeto), o Famalicão não conseguiu incomodar Franco Israel e o tempo foi passando sem que o guardião uruguaio fosse aparecendo no jogo. Ao contrário do que aconteceu no Dragão, Cádiz foi bem controlado e até foi a equipa verde e branca a criar as melhores ocasiões, mesmo sem ter um domínio avassalador do encontro - Morita teve tudo para fazer o 0-2 pouco depois de entrar.

Só perto do final, quando o Famalicão jogava a tempo inteiro no meio-campo do Sporting, o leão tremeu. Nathan isolou-se, mas Coates foi Capitão América e salvou a sua equipa com um corte que valeu os três pontos e pode valer o título de campeão nacional.

Homem do jogo Flashscore: Morten Hjulmand (Sporting)

Hjulmand voltou ao onze após castigo e foi importante no triunfo leonino
Hjulmand voltou ao onze após castigo e foi importante no triunfo leoninoSporting CP, Opta by Stats Perform