Janine van Wyk (África do Sul) torna-se a futebolista africana mais internacional da história

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Janine van Wyk (África do Sul) torna-se a futebolista africana mais internacional da história
Janine van Wyk acena aos adeptos depois de conquistar o primeiro título da África do Sul na Taça das Nações Africanas Feminina, em 2022
Janine van Wyk acena aos adeptos depois de conquistar o primeiro título da África do Sul na Taça das Nações Africanas Feminina, em 2022
Reuters
A defesa sul-africana Janine van Wyk (36 anos) tornou-se a futebolista africana com mais internacionalizações de todos os tempos, ao fazer a sua 185.ª internacionalização, esta segunda-feira, numa aparição de sete minutos contra o Burkina Faso, que foi planeada para lhe dar o recorde.

Van Wyk ultrapassa assim o antigo internacional egípcio Ahmed Hassan, que disputou 184 jogos e foi um dos pilares da sua seleção, entre 1995 e 2012.

A defesa sul-africana, que não disputou o Mundial, na Austrália e na Nova Zelândia, devido a uma lesão, anunciou a sua retirada da seleção em outubro, mas recebeu as duas partidas necessárias para superar Hassan, na qualificação para a Taça Africana das Nações, contra a seleção burquinense.

A segunda aparição durou apenas sete minutos, antes de ser substituída.

A África do Sul, atual campeã, venceu por 2-0 em Johanesburgo, e conquistou a qualificação para o Mundial do ano que vem, em Marrocos, com um agregado de 3-1.

Van Wyk estreou-se na seleção principal contra a Nigéria, em 2005, e tem sido uma das jogadoras mais reconhecidas da África do Sul na seleção feminina.

A defesa passou duas temporadas no Houston Dash, da Liga Nacional de Futebol Feminino, e também jogou no Glasgow City, da Escócia.

Van Wyk tem o seu próprio clube na África do Sul, o JVW FC, onde a bicampeã olímpica dos 800 metros Caster Semenya já treinou, na esperança de iniciar uma carreira no futebol, que nunca se concretizou.