Taça de Portugal feminina: Treinador do SC Braga critica arbitragem após derrota com o Racing

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Taça de Portugal feminina: Treinador do SC Braga critica arbitragem após derrota com o Racing

Miguel Santos, treinador do SC Braga, desagradado com a equipa de arbitragem no jogo da Taça de Portugal feminina
Miguel Santos, treinador do SC Braga, desagradado com a equipa de arbitragem no jogo da Taça de Portugal femininaSC Braga
Declarações ao canal 11 após o jogo SC Braga - Racing Power (1-2), da primeira mão das meias-finais da Taça de Portugal feminina de futebol, disputado esta quinta-feira, no Estádio 1.º de Maio, em Braga.

Recorde as principais incidências do encontro

Miguel Santos (treinador do SC Braga):

“Não concordo (que tenha sido o SC Braga com dificuldades a criar oportunidades e o Racing Power forte defensivamente). Foi um jogo de bola parada em bola parada, porque o critério (da arbitragem) foi esse. Foi um SC Braga com posse e um Racing Power a defender-se, mas o jogo parou muitas vezes e não devia.

"Houve olho clínico para o penálti (contra o SC Braga), mas não para a agressão sobre a Carolina. Mas, quem ri por último, ri melhor e vamos para a segunda mão com tudo".

"Não saímos nada satisfeitos e a equipa de arbitragem tem que refletir. Temos responsabilidade na expulsão do meu adjunto, mas no resto, não. Não sei como é que o penálti (favorável ao SC Braga) não dá vermelho, porque a Vitória Almeida não conseguiu continuar em campo”.

João Marques (treinador do Racing Power):

“Foi um jogo muito competitivo, em que saliento o caráter e a superação das minhas jogadoras. Estamos a passar por muitas adversidades, temos várias jogadoras influentes lesionadas, mas estas jogadoras conseguem superar-se todas as semanas e surpreender mesmo a equipa técnica.

"Foi um jogo muito bem disputada entre duas boas equipas. O SC Braga tem muita qualidade. No nosso único erro na primeira parte, o SC Braga foi feliz. Na segunda parte, fomos mais audazes e conseguimos virar o resultado. Estou muito contente pelas minhas jogadoras, mas ainda falta um jogo, isto ainda está a meio".

(Apenas uma substituição tentada)  A maior parte das jogadoras que estava no banco não está em condições, têm lesões. Estavam lá para cumprir o critério de preencher a ficha de jogo, mas não tinha grandes opções no banco”.