"Kelce Bowl" o confronto de irmãos que vai fazer história no Super Bowl

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
"Kelce Bowl" o confronto de irmãos que vai fazer história no Super Bowl
Jason (esq.) e Travis (dir.) Kelce juntamente com a mãe Donna
Jason (esq.) e Travis (dir.) Kelce juntamente com a mãe Donna
AFP
A loucura do "Kelce Bowl" aterrou em Phoenix à medida que o tight end Travis Kelce, dos Kansas City Chiefs, e o center Jason Kelce, dos Philadelphia Eagles, se preparam para fazer história este domingo, ao tornarem-se nos primeiros irmãos a defrontarem-se no Super Bowl.

Na noite de abertura do Super Bowl, na segunda-feira, em que grupos de fãs encheram o Footprint Center, a batalha fraternal estava na boca de todos os jornalistas. 

"É um momento especial", disse Travis, que ajudou os Chiefs a vencerem o campeonato há três anos. "É algo que, obviamente, nos vamos lembrar para o resto da vida".

Travis Kelce em conferência de imprensa bem disposta
AFP

A dupla já desfrutou de alguns períodos invejáveis na NFL, algo que pode ajudar a suavizar o golpe quando um deles, inevitavelmente, sair derrotado do State Farm Stadium no domingo.

Acompanhe as incidências do encontro

Travis foi oito vezes selecionado para o Pro Bowl e é uma cara bonita dos meios de comunicação norte-americanos pelo seu encanto informal e atos heróicos dentro de campo.

Em comparação, Jason aproveita um holofote menor como lineman ofensivo, mas já foi selecionado seis vezes para o Pro Bowl e ajudou a equipa de Philadelphia a erguer o troféu Lombardi há cinco anos.

"Ele tem mais Pro Bowls, ele vai para o Hall of Fame como escolha principal, discutivelmente o melhor tight end de todos os tempos, é mais bonito e dança melhor. Dá-me só uma coisa, Trav: deixa-me ganhar mais Super Bowls", gracejou Jason.

Jason Kelce
AFP

Cresceram em Cleveland, no Ohio, com sonhos de um dia jogar o Super Bowl juntos - claro que, na fantasia infantil, jogavam na mesma equipa. A sua mãe, Donna, já deixou claro que não vai escolher lados, ao aparecer na segunda-feira com uma camisola combinada dos dois emblemas.

"Nós já nos apercebemos que - para alguém - não vai acabar bem", disse Jason.

"Sei que vou soar maluco, mas acho que estamos a torcer um pelo outro. Sinto que não consegues evitar fazer isso. Posso não estar a torcer pelos Chiefs, mas estou sempre a torcer pelo Travis", rematou.