Ministra do desporto de França diz que Le Grat "falhou redondamente" no seu dever

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Ministra do desporto de França diz que Le Grat "falhou redondamente" no seu dever
Noel le Graet decidiu afastar-se da presidência da federação francesa de futebol
Noel le Graet decidiu afastar-se da presidência da federação francesa de futebol
AFP
Noel le Graet, que se encontra sob investigação por assédio moral e sexual, afastou-se do cargo de presidente da federação francesa de futebol (FFF). Críticas sucedem-se e a ministra do desporto de França diz que o responsável falhou redondamente no seu dever de representar o organismo.

No início da semana, o gabinete da procuradoria de Paris confirmou a abertura de uma investigação ao dirigente, que negou as acusações de que é alvo. 

Noel le Graet, que esteve ainda no centro de novas polémicas pelas declarações feitas sobre Zinédine Zidane e pela renovação do contrato do selecionador Didier Deschamps até 2026, afastou-se da presidência da FFF, tendo Philippe Diallo, até então vice-presidente, assumido interinamente o organismo.

Contudo, o comité executivo da federação anunciou que pretende esperar pela conclusão da auditoria levada a cabo pela ministra do desporto para tomar uma decisão definitiva quanto à liderança da entidade.

"Os membros (do comité executivo) decidiram esperar pela conclusão da auditoria feita pela Inspeção Geral de Educação antes de tomarem uma decisão definitiva quanto à governação", revelou Amelie Oudea-Castera.

"As conclusões serão comunicadas a 30 de janeiro. Nessa altura, terão capacidade, com base nos documentos, para tomarem as decisões e assumirem responsabilidades. O presidente tem um dever de representação. E, a este nível, Noel Le Graet falhou redondamente", acrescentou a ministra.

O comité executivo da FFF não tem poder para destituir o presidente, algo que só pode ser feito pela assembleia federativa.