Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

E se o futuro da Fórmula 1 estivesse finalmente em Paul Aron?

Paul Aron em abril
Paul Aron em abrilAFP
Este fim de semana recomeçam os encontros de F2 e, com eles, o Campeonato, a antecâmara da Fórmula 1. Paul Aron lidera o campeonato, depois do seu pódio no Mónaco (3.º), e está cada vez mais impressionante.

Desde o início do ano, tem sido extremamente consistente. Paul Aron soma cinco pódios em cinco encontros com a Hitech e está na ribalta. Primeiro na classificação dos pilotos, com dois pontos de vantagem sobre Isack Hadjar, o estónio está de olhos postos no futuro e deverá voltar a impressionar o público, nomeadamente em Barcelona, este fim de semana.

"Um piloto consistente"

O seu nome está na boca de todos os fãs do desporto automóvel. Paul Aron está a causar sensação desde a sua estreia na Fórmula 2 no Bahrein, esta época. Um jovem estreante de 20 anos e antigo membro da Mercedes Academy, o piloto continua a sua ascensão meteórica num carro que lhe assenta que nem uma luva. "A Hitech deu-me um bom carro e conforto, e estou a gostar muito, e é por isso que os resultados estão a aparecer", disse numa conferência de imprensa após o seu pódio no Mónaco.

Com desempenhos regulares e um ritmo sempre bem afinado durante as corridas, marcou um grande número de pontos. Por isso, está no topo da classificação dos pilotos e pretende manter a liderança.

"Estou muito satisfeito com a minha época, sobretudo se olharmos para o ano passado na F3. Fui um dos pilotos mais consistentes, mas como estreante com uma nova equipa, não sabia bem onde iria parar", confidenciou no Mónaco.

Ainda estreante na F2, pretende, no entanto, aproveitar o seu tempo nos vários circuitos para se familiarizar com a concorrência. Se a sua consistência continuar a ser comprovada até Spa (28 de julho), então poderá estar a pensar no título.

"Nunca tentei fazer 100% da pole ou da vitória, porque com um carro novo é fácil cometer erros. Apenas disse a mim próprio que ia conduzir. Mas tenho estado no pódio todos os fins-de-semana. No entanto, ainda não consegui uma vitória. É um objetivo que temos em mente com a equipa. Acho que não é preciso forçar. É uma questão de tempo. Se melhorarmos na qualificação, estaremos a lutar por uma vitória", assumiu.

Ainda há um longo caminho a percorrer

A competição na Fórmula 2 é dura, e Paul Aron está bem ciente disso. Atrás de Zane Maloney na classificação geral antes do Mónaco, está ciente de que tudo pode mudar num fim de semana. Além disso, tem apenas dois pontos de vantagem sobre Isack Hadjar. Um único deslize poderia tirar-lhe o estatuto.

"A classificação não me dá qualquer impulso. O Isack é muito forte e está mesmo atrás de mim. O Zane também. É demasiado cedo para falar do campeonato. Uma vitória pode dar-nos uma vantagem muito grande. Só temos de melhorar, testar os diferentes circuitos e, para mim, como estreante, sinto-me mais confortável em cada encontro. Na F2, tudo o que se pode fazer é ter um bom desempenho", explicou.

Mas, tendo em conta os seus resultados, a época parece estar a começar bem. Cabe-lhe mostrar o que vale nas próximas corridas. Numa altura em que o seu nome já circula no paddock de elite, novos bons resultados só o colocariam na melhor posição possível para um futuro potencialmente brilhante.