Marc Márquez põe Max Verstappen à prova num divertido teste sobre Fórmula 1

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Marc Márquez põe Max Verstappen à prova num divertido teste sobre Fórmula 1
Max Verstappen e Marc Márquez
Max Verstappen e Marc Márquez
@HRC_MotoGP
No último grande evento como piloto da Honda Racing Team, o espanhol pôs o piloto da Red Bull à prova num teste exaustivo ao seu carro.

A relação entre a Honda e a Red Bull permitiu que Marc Márquez e Max Verstappen se conhecessem em profundidade nos últimos anos. São dois dos melhores pilotos da história do MotoGP e da Fórmula 1 e a genialidade de ambos aproximou-os.

Quase todos os anos, nesta altura, a marca japonesa reúne-os no Honda Thanks Day, para que possam trocar as ferramentas de trabalho e falar sobre as diferenças que apreciam entre carros e motos.

Na edição de 2023, realizada nas instalações do fabricante nipónico em Motegi, o foco foi o questionário do novo piloto da Ducati ao atual campeão mundial de F1. Vale a pena notar que em 2022 foi o neerlandês que se interessou pela mota do octacampeão e, apesar da natureza intensa do questionário, Max passou com distinção.

O volante

Márquez estava mais curioso sobre os botões do volante: "Sabes como funciona cada botão ou eles dizem-te (da box)?", questionou o espanhol. 

"Bem, eles dizem-me o que tenho de fazer. Este botão é para tudo o que está relacionado com o motor. Normalmente, na qualificação, ponho no um. Depois, no arranque, coloco este e, na corrida, normalmente mudo para este. Se precisarmos de carregar a bateria, temos de o subir", explicou.

KERS

Outro ponto fundamental debatido foi o sistema de recuperação de energia cinética (KERS), porque o piloto de MotoGP não sabia muito bem como funcionava: "És tu que decides isso ou são eles que te dizem?"

"Por vezes, sou eu que  o mudo, porque vejo o nível da bateria, mas outras vezes a equipa diz-me como o ajustar", disse um Verstappen conciso.

Fascinado com a distribuição dos travões

O controlo da distribuição da travagem a partir do volante do Red Bull foi o mais interessante. Marc estava muito interessado na capacidade do seu colega para o fazer em plena ação: "E os travões? Porque vocês também os mudam, não é?", observou.

"Sim, está aqui. Podemos alterar a distribuição dos travões entre a frente e a retaguarda. Depende muito do circuito. Se houver muitas curvas de alta e baixa velocidade, é preciso mudar bastante. É uma coisa espantosa! No fundo, estamos a mudar o feeling (a sensação) do carro. É isso mesmo, muda tudo na travagem e na viragem do carro", salientou o piloto de Fórmula 1.

Vendo que a curiosidade de Márquez não estava totalmente satisfeita, mostrou-lhe outro pormenor: "Utilizo esta alavanca para curvas muito apertadas, quando não tenho tempo para chegar ao botão. Pode mover-se para a frente ou para trás, com apenas um dedo mudo-o", disse.