Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Andy Murray dá a entender que se vai retirar em Wimbledon ou nos Jogos Olímpicos

Murray aproxima-se mais da reforma
Murray aproxima-se mais da reforma Reuters
Andy Murray afirmou que seria um final de carreira adequado se se retirasse em Wimbledon ou nos Jogos Olímpicos de Paris.

O escocês, três vezes campeão do Grand Slam e duas vezes medalhado com o ouro nos Jogos Olímpicos, disse em fevereiro que era pouco provável que continuasse a jogar depois do verão.

Murray está ansioso por competir nos Jogos Olímpicos depois de ter sido nomeado para a equipa britânica no domingo e disse que a perspetiva de competir em Paris tinha sido uma verdadeira motivação para ele.

"Provavelmente, se eu fosse terminar a minha carreira, preferia terminar em Wimbledon ou nos Jogos Olímpicos, para mim isso seria provavelmente mais apropriado", disse Murray, que ganhou o ouro em Londres 2012 e no Rio 2016, à BBC Sport: "Tive experiências e memórias fantásticas em Wimbledon, mas também fiz parte das equipas olímpicas britânicas. Ter a oportunidade de competir num quinto lugar é uma razão para me manter motivado e continuar a jogar."

Wimbledon decorre de 1 a 14 de julho no All England Club. O torneio olímpico de ténis começa a 27 de julho e termina a 4 de agosto em Roland Garros.

Sally Bolton, directora executiva do All England Lawn Tennis Club, revelou na quinta-feira que existem planos para homenagear Murray, caso o torneio deste ano venha a ser uma despedida para o campeão de 2013 e 2016.

"Penso que em muitas carreiras, a reforma é algo que é celebrado e as pessoas esperam ansiosamente por esse dia, mas isso não é algo que eu sinta. Adoro jogar ténis", acrescentou Murray: "Em última análise, se fisicamente não formos capazes de jogar ao nível que queremos, se os resultados não forem os desejados, essas coisas influenciam a decisão."