Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Wimbledon: Paolini vence uma dura batalha contra Vekic e passa à final

Jasmine Paolini está na final
Jasmine Paolini está na finalAFP
A tenista da Toscana continua a sonhar em Wilmbledon e, depois de ter feito aqui a primeira meia-final de sempre do ténis feminino italiano, vai ainda mais longe com uma final. Não foi fácil, no entanto, levar a melhor sobre uma rival feroz que lhe deu muito trabalho durante todo o encontro.

Reveja aqui as principais incidência da partida

Contra a croata Donna Vekic, de 28 anos, número 37 da WTA e também na sua primeira semifinal de Wimbledon, Paolini venceu uma batalha de três sets com uma reviravolta de 2-6 6-4 7-5.

A italiana começou contraída e Vekic aproveitou-se disso, tirando o máximo partido da fisicalidade nas trocas de bola, mas também do excelente primeiro serviço. O erro da Azzurra foi aceitar que ia jogar contra uma adversária mais alta, mais forte, com uma bola mais pesada e que se sente muito confortável na relva.

A croata teve logo uma oportunidade de break no primeiro jogo, mas a toscana conseguiu salvar o jogo de serviço. No entanto, no 2-2, os erros de Paolini aumentaram e Vekic atacou, recuperou de uma desvantagem de 15-30 e conseguiu o break, consolidando-o depois com um 4-2.

Para a italiana, os problemas continuaram no seu serviço, com uma percentagem de primeiro serviço de 43%, e a croata passou a 0-40, ganhando mais três pontos de break. Paolini salvou dois, mas não o terceiro, que Vekic fechou com uma bola curta. Com 5-2 e a servir, a croata não deixou passar a oportunidade e fechou a zero para vencer o primeiro set por 6-2.

No segundo set, Paolini começou bem mas já no terceiro jogo teve de enfrentar o primeiro break point, que conseguiu anular com uma bola curta e um ás. Com 2-1, a italiana tentou minar a croata, ganhou vantagem com um grande voleio no forehand da adversária e obteve o primeiro break point do encontro. Vekic, no entanto, anulou-o com um primeiro ponto e recuperou o seu serviço.

No jogo seguinte, foi a croata que teve duas oportunidades de break, mas falhou. Apesar da solidez da sua adversária, Paolini foi-se soltando e começou a jogar melhor, mostrando alguns bons golpes. A 4-4, Vekic falhou de forma flagrante algumas bolas simples, enquanto Paolini se destacava. Assim, a liderar por 5-4 no serviço da croata, esta encontra-se nas melhores condições psicológicas: voa 15-40, consegue o break e fecha o set por 6-4.

Donna Vekic não perdeu o ânimo, conseguiu pressionar o segundo serviço de Paolini e conquistou um novo break no início do terceiro set, que consolidou para ganhar uma vantagem de 2-0. Por sua vez, a italiana teve outro break point, mas desta vez falhou e Paolini conseguiu encurtar o resultado. Vekic continuou a servir com percentagens muito elevadas (73% de primeiros serviços com 100% de pontos) e passou a liderar por 3-1.

Paolini não desanima, sofre, mantém o seu serviço e enerva a adversária que, a 3-2, cede dois break points e a italiana não comete qualquer erro no segundo, empatando a partida. A alegria, no entanto, durou pouco, porque no jogo seguinte a croata teve mais duas oportunidades de quebrar e atingiu o break point, mas com uma dupla falta voltou a pôr tudo em causa, dando a Paolini duas oportunidades de quebrar e ela não cometeu qualquer erro: 4-4.

A toscana recuperou a confiança e fechou a zero no seu serviço para vencer por 5-4 e ter assim a oportunidade de fechar o encontro quebrando a sua adversária. Um longo forehand de Vekic dá-lhe um match-point, mas a croata mantém-se fria como sempre, põe de lado as suas emoções, anula e leva o encontro a um empate: 5-5. No serviço de Paolini, a croata conseguiu um break point, mas a toscana anulou-o e, depois de uma longa batalha nas vantagens, fez 6-5. A tensão é palpável, os nervos de Vekic saltam e ela tem um ataque de choro. Paolini recuperou de 30-15 e ganhou o seu segundo match point, mas a croata anulou-o novamente. Martelo após martelo, chegou assim ao tie-break, que neste caso estava à melhor de dez pontos.

Vekic ganhou uma vantagem de mini-break, mas Paolini recuperou e, com ambas as jogadoras impecáveis no serviço, o resultado foi 8-8. Aqui Paolini conquistou o seu terceiro match-point e, no segundo serviço de Vekic, o erro da croata deu-lhe a final de Wimbledon. A primeira italiana da história.

Paolini vai defrontar a vencedora do encontro entre Rybakina e Krejcikova. Para Paolini, o sonho de ganhar Wimbledon continua.

Os números da partida
Os números da partidaOpta by Stats Perform