Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Vida de Nemias Queta dava “um filme de Hollywood”, segundo o treinador Henrique Pina

Nemias Queta foi campeão pelos Celtics
Nemias Queta foi campeão pelos CelticsBoston Celtics
A vida do basquetebolista português Neemias Queta dava “um filme de Hollywood”, disse Henrique Pina, antigo treinador de sub-16 do novo campeão da NBA, ponto mais alto de um percurso que acaba por ser “uma surpresa”.

A vida dele daria um filme de inspiração de Hollywood. Porque desde o dia em que ele chegou, com algumas debilidades físicas, passados 12 anos ver o homem que está, com a envergadura e o complemento físico que ele tem, só com muito trabalho que foi feito e muita força psicológica”, disse à agência Lusa o atual treinador do Estoril Basket.

De acordo com o técnico, o sucesso do internacional português ao serviço dos Boston Celtics, apesar de ser “um grande orgulho a nível nacional”, também “não deixa de ser uma surpresa”.

Quando o treinou, nos escalões jovens do Barreirense, Henrique Pina augurava-lhe um percurso “forte na Liga portuguesa” e que pudesse “chegar à seleção nacional”, mas “nunca se pensaria” que um dia iria “chegar à NBA e logo à equipa campeã”.

Até porque, explicou o técnico, só a enorme força psicológica de um jogador que, naquele tempo, até era “franzino”, fez com que nunca abandonasse a modalidade.

O percurso dele e a vida pessoal fez com que fosse muito forte psicologicamente, que nunca desistisse. O Neemias morava a cerca de 10 ou 12 quilómetros do pavilhão e muitas das vezes vinha a pé treinar. Com aquela idade, tinha tudo para desistir, mas pela parte psicológica conseguiu chegar onde está com todo o mérito”, recordou Henrique Pina.

Desse tempo, em que o atual campeão de basquetebol da NBA se deslocava a pé desde o Vale da Amoreira, um bairro social na Moita, até ao pavilhão do clube da margem sul do Tejo, o técnico recorda, ainda, um jovem com “dificuldades” físicas.

Ele era muito franzino, tinha ali algumas carências de saúde, alguns problemas de locomoção. Como era muito grande e, depois, meio franzino, muitas vezes passava o tempo no chão porque caía”, confidenciou o técnico à agência Lusa.

Por isso, apesar do “trabalho físico que depois foi feito” com o jovem internacional português, de 24 anos, e que “surtiu” efeito, o percurso de Neemias acaba por ser surpreendente para os seus antigos treinadores.

Para nós todos é uma surpresa, ninguém pode dizer que não. Ver o Neemias, enquanto jovem, enquanto atleta, tornar-se campeão da NBA, é um grande orgulho a nível nacional termos um atleta nesse patamar, mas não deixa de ser uma surpresa. Uma boa surpresa”, concluiu Henrique Pina.