Horner considera que Perez deve conduzir com menos pressão: "Ninguém teria batido o Max"

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Horner considera que Perez deve conduzir com menos pressão: "Ninguém teria batido o Max"
Sergio Perez após a sua eliminação na qualificação
Sergio Perez após a sua eliminação na qualificação
AFP
O bi-campeão de Fórmula 1, Max Verstappen (25 anos), foi simplesmente imbatível no Grande Prémio de Espanha, no passado domingo, e o seu companheiro de equipa Sergio Perez (33 anos), na opinião do chefe de equipa da Red Bull, Christian Horner, deveria colocar menos pressão sobre si próprio.

O bicampeão mundial Verstappen tem agora 53 pontos de vantagem sobre o piloto mexicano - que continua a ser o seu rival mais próximo no título - após sete das 22 corridas, e pode falhar as próximas duas e continuar no topo da classificação. O neerlandês foi tão dominante no Circuito da Catalunha, em Barcelona, que terminou 24 segundos à frente do número dois da Mercedes, Lewis Hamilton (38 anos), o piloto mais bem sucedido de todos os tempos.

Verstappen foi o mais rápido em todas as sessões de treinos, na qualificação e também ganhou o ponto de bónus pela volta mais rápida da corrida. Pérez começou em 11.º e terminou em quarto, no que descreveu como uma corrida de "controlo de danos", mas sublinhou que a sua confiança continua elevada. Christian Horner defendeu que o mexicano precisava levar os pontos positivos com ele.

Deixar ir

"Porque ele é o companheiro de equipa de Max Verstappen, não se deve tirar nada disso. Não creio que haja um piloto a conduzir por aí que tivesse batido o Max. Por isso, ele (Pérez) tem de competir contra um piloto que está em grande forma. E isso é muito difícil", disse Horner.

"Mentalmente, é muito difícil lidar com isso, mas penso que a diferença de pontos lhe retira um pouco a pressão e as expetativas que ele coloca sobre si próprio. Ele precisa de esquecer isso agora e ser livre na sua condução", acrescentou o chefe de equipa da Red Bull.

Formalidade

Sergio Pérez venceu duas vezes nesta temporada e poderia ter assumido a liderança do campeonato em Miami, no mês passado, depois de largar na pole, com Verstappen em nono. Em vez disso, o neerlandês venceu e aumentou a sua vantagem sobre o mexicano, que terminou em segundo.

Verstappen liderou todas as corridas desde então, vencendo no Mónaco a partir da pole após uma sensacional volta de qualificação e mostrando o seu domínio em Espanha, o circuito onde obteve a sua primeira vitória em 2016. No entanto, um terceiro título, com obviamente muitas corridas pela frente, parece cada vez mais uma formalidade.

Pérez largou em último no Mónaco, depois de um acidente na qualificação, fez cinco paragens nas boxes e foi ultrapassado duas vezes pelo seu companheiro de equipa a caminho do 16º lugar.