Federação ucraniana de futebol vai boicotar provas europeias com equipas russas

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Federação ucraniana de futebol vai boicotar provas europeias com equipas russas
Federação ucraniana de futebol toma posição sobre decisão da UEFA
Federação ucraniana de futebol toma posição sobre decisão da UEFA
Ukrainian Association of Football
A Ucrânia vai boicotar as competições europeias que tenham a participação de equipas russas, anunciou esta quarta-feira a Federação Ucraniana de Futebol, um dia depois de a UEFA ter amenizado as sanções impostas à Rússia.

Na terça-feira, a UEFA informou que o Comité Executivo aprovou a readmissão nesta época de equipas russas de menores de 17 anos nas provas europeias, mantendo a suspensão das restantes formações, de clubes e seleções, devido à guerra na Ucrânia.

“Não participaremos em nenhuma competição em que estejam presentes equipas russas”, afirmou a federação ucraniana, “condenando firmemente” a abertura parcial aprovada pela UEFA e instando o organismo regulador do futebol europeu a “recuar na sua decisão”.

A federação ucraniana apelou também a outros para “boicotarem jogos que envolvam equipas russas, caso sejam readmitidas”, uma decisão que foi justificada pela UEFA com a necessidade de “não punir as crianças por atos que são da responsabilidade exclusiva de adultos”.

“O Comité Executivo da UEFA decidiu que as equipas russas de jogadores menores serão readmitidas nas suas competições no decurso da presente época. A este respeito, o Comité Executivo solicitou à administração da UEFA que propusesse uma solução técnica que permitisse a reintegração das equipas russas de sub-17 (tanto femininas como masculinas), mesmo quando os sorteios já tivessem sido realizados”, referiu a UEFA, em comunicado.

Apesar de serem readmitidas, as equipas vão disputar os jogos fora do país, sem bandeira, hino ou equipamento de jogo nacional, explicou o Comité Executivo da UEFA, que reuniu na terça-feira, em Limassol, em Chipre.

“É particularmente lamentável que, devido à persistência do conflito, uma geração de menores seja privada do seu direito de competir no futebol internacional”, salientou.

A UEFA reiterou ainda a condenação à “guerra ilegal da Rússia” e confirmou que a suspensão de todas as outras equipas russas, de clubes e seleções, permanecerá em vigor até ao fim do conflito na Ucrânia.