Inglaterra recusa-se a jogar contra as seleções jovens russas apesar da reintegração

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Inglaterra recusa-se a jogar contra as seleções jovens russas apesar da reintegração
As selecções jovens de Inglaterra não vão jogar contra a Rússia
As selecções jovens de Inglaterra não vão jogar contra a Rússia
Reuters
A Federação Inglesa de Futebol (Fa) anunciou na terça-feira que as seleções jovens de Inglaterra não vão defrontar as congéneres da Rússia. Esta decisão surge em resposta ao anúncio pela UEFA do plano de reintegração das equipas russas de sub-17 nas competições europeias, pela primeira vez desde a invasão da Ucrânia.

Na sequência da invasão, que Moscovo designa como uma "operação militar especial", o organismo que rege o futebol europeu decidiu, em fevereiro de 2022, que todas as equipas russas - seleções e clubes - seriam suspensas da participação na competição. A UEFA também cancelou a parceria com a empresa russa de energia Gazprom.

Num comunicado emitido na terça-feira após a reunião do Comité Executivo em Limassol, Chipre, a UEFA afirmou que "compreende que as crianças não devem ser punidas por ações pelas quais apenas os adultos são responsáveis. Por estas razões, o Comité Executivo da UEFA decidiu que as equipas russas compostas por jogadores menores de idade serão autorizadas a jogar novamente esta época".

"O Comité Executivo solicitou à administração da UEFA que propusesse uma solução técnica que permitisse a reintegração das equipas russas de sub-17 (tanto femininas como masculinas), mesmo que os sorteios dos jogos já tenham sido realizados".

A UEFA acrescentou que os jogos das equipas russas serão disputados fora da Rússia e não exibirão a bandeira, o hino ou os trajes nacionais do país.

"Ao proibir a presença de crianças nos nossos jogos, não só não estamos a reconhecer e a respeitar o direito fundamental ao seu desenvolvimento integral, como estamos a discriminá-las diretamente", afirmou o presidente da UEFA, Alexander Ceferin.

Em resposta, a Federação Inglesa de Futebol afirmou discordar da decisão da UEFA. "Não apoiamos a posição de readmitir a Rússia na competição de escalões etários da UEFA e a nossa posição continua a ser a de que as equipas inglesas não jogarão contra a Rússia", disse um porta-voz da FA à Reuters.

As finais do Campeonato da Europa de Sub-17 masculino realizar-se-ão no Chipre no próximo ano e o torneio feminino na Suécia.