Da NASA a titular da NFL: a curiosa jornada de Joshua Dobbs

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Da NASA a titular da NFL: a curiosa jornada de Joshua Dobbs
Joshua Dobbs segura uma pedra da lua vestido de astronauta
Joshua Dobbs segura uma pedra da lua vestido de astronauta
@NASAglenn
O novo QB1 dos Minnesota Vikings tem uma das histórias mais peculiares do desporto profissional. A NASA felicitou-o pelo seu último jogo e tudo isto tem uma explicação.

A lesão de Kirk Cousins (35 anos) obrigou os Minnesota Vikings a procurar uma solução de emergência para a posição de quarterback, uma vez que apenas dispunham de Jaren Hall (25 anos), uma escolha da quinta ronda do draft deste ano, proveniente da BYU. Finalmente, na data limite de trocas, o Vikings trocou Joshua Dobbs (28) pelo Arizona Cardinals.

Sem qualquer treino, o nativo da Geórgia vestiu a camisola roxa contra o Atlanta Falcons e, com 158 jardas aéreas, 66 corridas e três touchdowns totais, tornou-se o Jogador Ofensivo da Semana da NFC na Semana 9.

Agora, apenas alguns dias depois, foi nomeado titular para o jogo contra o New Orleans Saints. Só o que aconteceu desde 1 de novembro já daria um filme, mas a história de Dobbs é um filme de vários capítulos de esforço inabalável.

Na sombra de 'Big Ben'

O homem do momento foi recrutado na quarta ronda, em 2017, pelos Pittsburgh Steelers. Na altura, era praticamente impossível jogar ali, pois a figura de Ben Roethlisberger, um dos melhores de todos os tempos, era indiscutível na equipa liderada por Mike Tomlin.

Como resultado, o atual jogador dos Vikings passou as suas primeiras cinco épocas com pouco para mostrar. Fez apenas cinco jogos (todos como suplente), nos quais lançou um total de 12 passes. Nada que prenunciasse o que lhe está a acontecer agora, claro.

Joshua Dobbs foi draftado em 2017 pelos Steelers.
Getty Images via AFP

Entre as suas duas passagens por Pittsburgh (2017-2018 e 2020-2021), teve uma passagem pela Florida para se juntar aos Jacksonville Jaguars. Foi uma mudança de vida, mas não exatamente por causa do que lhe aconteceu no campo de futebol.

Engenheiro aeroespacial

Não chegou a estrear-se com a camisola dos Jags, mas aproveitou a sua passagem pelo sudeste dos Estados Unidos para se juntar à NASA, no âmbito de um programa de estágio da Associação de Jogadores da NFL (NFLPA).

Os seus estudos em engenharia aeroespacial na Universidade do Tennessee qualificaram Joshua Dobbs para o estágio. A oportunidade foi-lhe bem oferecida, uma vez que, na altura, não era um jogador de topo em campo.

A memória que deixou na agência deve ter sido muito agradável, pois o Centro de Investigação Glenn da NASA, em Cleveland, felicitou-o pela sua primeira vitória no Minnesota.

"Parabéns, Joshua Dobbs, pela grande vitória de ontem! Parece que és fantástico dentro e fora do campo. Ouvimos dizer que até tens uma nova alcunha: "Passtronauta". Se o fato lhe serve, use-o", publicaram na sua conta X (antigo Twitter).

Perseverança

Depois de regressar aos Steelers em 2020, seguiram-se os piores momentos para o quarterback. Acabou por somar quatro épocas consecutivas sem marcar presença, com passagens pelos Cleveland Browns e Detroit Lions.

No entanto, o "quarterback espacial" não desistiu perante as adversidades e na semana 17 de 2022 teve a oportunidade de ser titular nos Tennessee Titans. Seis longas épocas passaram até esse momento chegar. Fez duas partidas como titular e, apesar de ter perdido ambas, levou a sua equipa aos Playoffs.

Dobbs comandou a vitória de virada dos Falcons sobre os Vikings.
Flashscore

Agora, em 2023, estabeleceu-se como um QB1 na NFL. Começou a temporada com o Arizona Cardinals, que o contratou duas semanas antes do início da temporada regular, e fez oito partidas em outros tantos jogos. Também obteve a primeira vitória da sua carreira na 3.ª ronda.

Infelizmente para ele, coisas estranhas começaram a acontecer nos seus últimos dias no deserto. Foi relegado para o banco e os fantasmas do passado pareciam estar a pairar novamente sobre a sua cabeça.

Uma transferência de última hora

"Depois do jogo contra Baltimore, que perdemos por 31-24, Jonathan Gannon chegou e disse à imprensa, que tinha visto antes de mim, que eu seria titular no jogo da semana seguinte contra os Browns, em Cleveland. Fui ao treino de segunda-feira e o treinador disse-me que Clayton Tune ia ser titular em Cleveland, por isso fui para casa e liguei ao meu agente. Quando tive a reunião com Gannon na segunda-feira, ele disse-me que eu não ia ser trocado nem dispensado, que ia ficar no Arizona", continuou.

Um novo começo para Dobbs com os Vikings
Getty Images via AFP

"Na terça-feira, acordo e o meu agente telefona-me a dizer que posso vir a ser trocado. Acordei na terça-feira com aquela mensagem a dizer-me que podia ser trocado pelo Minnesota ou voltar para Cleveland, por isso pensei 'este dia vai ser de loucos'", acrescentou, com uma risada.

No final, tudo acabou por correr bem: "Tomei o pequeno-almoço, descansei um pouco e, umas horas mais tarde, disseram-me que tinha sido transferido para o Minnesota. Foram muitas emoções em 36 horas", concluiu.

Um novo começo, que se iniciou da melhor maneira e que pode ser o ponto de viragem definitivo, para que Joshua possa fazer grandes coisas na NFL. Para já, o limite é o espaço e ele sabe-o melhor do que ninguém.