Seis campeões mundiais de sub-20 abrem a era Bielsa no Uruguai

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Seis campeões mundiais de sub-20 abrem a era Bielsa no Uruguai
Os campeões mundiais sub-20 comemoram o título nas ruas de Montevidéu
Os campeões mundiais sub-20 comemoram o título nas ruas de Montevidéu
AFP
Seis dos vencedores do Campeonato do Mundo de Sub-20 do Uruguai vão estrear-se pela primeira vez esta semana com o "Loco" Bielsa na seleção principal, permitindo-lhes "fantasiar" com outro título mundial.

O guarda-redes Randall Rodríguez, os defesas Sebastián Boselli, Facundo González e Mateo Ponte, o médio Fabricio Díaz e os avançados Luciano Rodríguez e Anderson Duarte são os campeões sub-20 convocados por Bielsa. No entanto, Ponte sofreu uma pequena lesão o Campeonato do Mundo e é quase impossível que esteja apto a jogar.

A vitória por 1-0 na final contra a Itália em La Plata, no domingo, colocou em evidência uma equipa que, treinada por Marcelo Broli, resumiu em campo a máxima do futebol charrúa: disputar cada bola como se fosse a última.

Bielsa tomou nota antes que a glória se apoderasse do plantel e, na primeira convocatória ao leme da Celeste, a meio do Mundial Sub-20 Argentina-2023, surpreendeu ao chamar metade da equipa.

"A convocatória enche-nos de orgulho, por estarem lá tantos jogadores sub-20. Obviamente, é um processo que de se integrarem na seleção principal e temos de o levar com calma, não exigir que estes miúdos salvem a seleção principal", disse Broli, minutos depois de se sagrar campeão do mundo com os rapazes.

Jogadores da selecção uruguaia sub-20 a festejar o título mundial.
AFP

Argentina, terra prometida para o Uruguai

A Argentina foi mais uma vez a terra prometida para a seleção uruguaia e, assim como em 2011, quando foi coroada campeão Copa América, repetiu o grito, desta vez do mundial juvenil, no país vizinho.

Nicarágua e Cuba, nos dias 14 e 20 de junho, respetivamente, abrirão as portas para o que os uruguaios esperam que seja uma nova era cheia de triunfos sob o comando de "Loco" Bielsa, que escolheu a Celeste motivado pela qualidade dos jogadores.

"O Uruguai é um dos países que, em termos de futebol, pode fantasiar e alimentar a ilusão com jogadores de alto nível", disse o "Loco", ex-treinador da Argentina e do Chile, em meados de maio, quando assumiu o comando da equipa de Luis Suárez e companhia.

E esse milagre do Uruguai, um viveiro permanente de craques, tem as raízes na formação. Broli sabe disso e, minutos depois de levantar o troféu do Campeonato do Mundo, perante o presidente da FIFA, Gianni Infantino, reconheceu o trabalho dos seus pares em todo o país.

"Há muita gente que se levanta muito cedo todos os dias para estar atrás dos miúdos, que faz um ótimo trabalho, que cuida deles e que gera valores. Temos de agradecer a todos esses trabalhadores", afirmou Broli.

Fiel ao seu estilo, durante a celebração Broli também teve tempo para refletir e lembrar que no futebol juvenil há "muitas deficiências" que precisam de ser resolvidas.

Os campeões do mundo sub-20 são recebidos em Montevidéu.
AFP

Esperança renovada

O Uruguai, apelidado de "paísito" pelos próprios habitantes por ser um pequeno coração de terra com cerca de 3,5 milhões de habitantes, encravado entre os gigantes Argentina e Brasil, sonhou alto em 1930 e 1950 e conquistou dois Campeonatos do Mundo.

Quase um século depois do primeiro título mundial, a Celeste confiou a Bielsa a responsabilidade de conduzir com sucesso a transição de uma geração marcada por estrelas de nível mundial como Diego Forlán (retirado), Luis Suárez e Edinson Cavani para uma nova na qual se destacam Federico Valverde (Real Madrid), Rodrigo Bentancur (Tottenham) e Darwin Núñez (Liverpool).

Mas os meninos de Broli vão lutar para se juntar à Celeste de Bielsa.

Anderson Duarte deixa o relvado, substituído por Ferrari
AFP

O guarda-redes do Peñarol, Randall Rodríguez, terminou o torneio com três golos sofridos, todos marcados pela Inglaterra na fase de grupos. Um recorde que alcançou graças a uma defesa de luxo e ao trabalho impecável dos defesas agora convocados por Bielsa.

No meio-campo, Fabricio Díaz mostrou a liderança que o levou à primeira divisão uruguaia com o Liverpool. Na frente, Rodríguez superou o revés de uma suspensão que o tirou de dois jogos cruciais para marcar o golo do título uruguaio e Duarte foi o goleador da equipa nos confrontos diretos.

"Nós, uruguaios, temos essa coisa incrível de ir atrás de sonhos que são difíceis de acreditar e, às vezes, conseguimos alcançá-los", lembrou Broli.

O "clube sub-20" ousou sonhar na sua categoria e é campeão do mundo, na equipa principal Bielsa abriu a porta a sonhos maiores.