Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Capitão do Uruguai critica a organização da Copa América: "A nossa família esteve em perigo"

Giménez e Araújo saltaram para as bancadas
Giménez e Araújo saltaram para as bancadasCTK
O defesa uruguaio criticou duramente a falta de segurança após um lamentável confronto nas arquibancadas entre jogadores da Celeste e torcedores colombianos.

A semifinal da Copa América entre Colômbia e Uruguai terminou com a vitória dos Cafeteros em campo, mas com uma altercação inaceitável entre jogadores uruguaios e adeptos colombianos nas bancadas.

Incapaz de reprimir a raiva, um dos jogadores da equipa de Marcelo Bielsa fez declarações muito duras contra os organizadores do torneio. Depois de deixar as bancadas, o central José Maria Giménez, do Atlético de Madrid, denunciou a falta de segurança no Estádio Bank of America, em Charlotte, casa do Carolina Panthers, da NFL.

"Vão cortar-me a palavra porque sei que não nos querem deixar falar", começou por dizer ao microfone, "Por favor, tenham cuidado, porque há famílias nas bancadas. Vieram todos para cima da nossa família, os adeptos de um determinado sector da Colômbia, e não nos deixam falar ao microfone", contou.

Vídeos que circularam nas redes sociais mostram como Darwin Núñez, Ronald Araújo e o próprio Gimenez, entre outros, entraram em luta corporal com alguns dos torcedores rivais após a eliminação. "Isto é um desastre. Isto é um desastre. A nossa família esteve em perigo. Tivemos de nos lançar para as bancadas para tirar de lá os nossos entes queridos e os nossos bebés recém-nascidos. É um desastre , tudo", continuou o defesa azul-celeste.

"Não havia um único polícia. Desceram ao fim de meia hora. Foi um desastre. E nós estávamos lá, a defender a nossa gente. Espero que quem está a organizar isto tenha um pouco mais de cuidado com a família, com as pessoas e com os arredores dos estádios. É uma catástrofe, porque acontece a mesma coisa todos os jogos", acrescentou.

As nossas famílias estão a sofrer por causa de algumas pessoas que tomam duas bebidas e não sabem beber, comportam-se como crianças e não são decentes. Espero que tenham cuidado nos próximos jogos. Espero que isto não volte a acontecer, porque é uma catástrofe", concluiu Giménez, indignado.