Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Osasuna desmente cânticos racistas contra Vinícius no El Sadar

Vinícius festeja um golo no El Sadar enquanto alguns adeptos o insultam
Vinícius festeja um golo no El Sadar enquanto alguns adeptos o insultamAFP
A queixa do Real Madrid contra o árbitro Martínez Munuera por, segundo o clube, ter omitido deliberadamente na ata os insultos recebidos por Vinícius nas bancadas do El Sadar, mereceu uma resposta contundente do Osasuna, que especificou que não houve cânticos racistas por parte dos seus adeptos.

O clube de Navarra, que não permitirá que a imagem dos seus adeptos seja manchada, divulgou um comunicado em que nega as acusações de racismo, ao mesmo tempo que deixa uma farpa ao Real Madrid por não ter tirado "uma fotografia conjunta das duas equipas, mostrando a união de todos contra o racismo", como solicitado antes do jogo.

Leia o comunicado do Osasuna na íntegra:

"Tendo em conta as informações publicadas nos meios de comunicação social após o comunicado do Real Madrid Club de Fútbol e que associam o El Sadar a comportamentos racistas, o Club Atlético Osasuna deseja esclarecer que não foi proferido qualquer cântico racista no jogo do passado sábado. Da mesma forma, exigirá uma retificação imediata aos meios de comunicação social que difundiram informações que não correspondem à realidade dos factos e atuará judicialmente contra aqueles que persistirem na falácia. O clube não tolerará que se manche a reputação dos adeptos do Osasuna, que ao longo da sua história se distinguiram pela sua postura antirracista.

O Osasuna e os seus adeptos estarão sempre ao lado de qualquer futebolista que seja alvo de insultos racistas, que não têm lugar no desporto nem na sociedade. Por esta razão, o clube deseja manifestar a sua solidariedade com jogadores como Vinícius Junior e Peter Federico Gonzalez, que há semanas foram alvo de ataques racistas execráveis, vergonhosos e condenáveis.

O compromisso do Osasuna com a luta contra o racismo levou-o, mais um ano, a aderir à campanha "LaLigaVS", que nesta última jornada se centrou neste tema por ocasião do Dia Mundial para a Eliminação da Discriminação Racial. Os jogadores do Osasuna entraram em campo, tal como outros 17 clubes da LaLiga EA Sports, com camisolas comemorativas da campanha. O Real Madrid não o fez, pois optou por personalizar a sua própria camisola com um slogan antirracismo. Da mesma forma, o Osasuna lamenta que não tenha sido possível tirar uma fotografia conjunta de ambas as equipas, mostrando a união de todos contra o racismo, como foi proposto e como aconteceu em todos os outros campos da LaLiga.

Além disso, o Osasuna quer mostrar o seu repúdio pelos insultos que em nenhum caso tinham referências racistas e que foram proferidos por uma minoria no passado sábado no El Sadar. O clube rejeita este tipo de cânticos que, infelizmente, os seus jogadores também têm de sofrer quando visitam outros estádios da LaLiga.

Em todo o caso, o Osasuna compromete-se a continuar o seu trabalho de sensibilização para erradicar, por menor que seja, qualquer comportamento que não esteja de acordo com os valores do desporto. Estes valores desportivos também devem ser promovidos pelos jogadores com atitudes de respeito para com os adversários e os árbitros, e é obrigação de cada clube educar os seus profissionais nestes valores.

O Club Atlético Osasuna deseja terminar este comunicado agradecendo aos seus adeptos que, na sua maioria, se comportaram de forma excelente, apesar do resultado penoso. O El Sadar voltou a ser um estádio acolhedor onde um bom número de adeptos rivais puderam vestir as cores da sua equipa sem qualquer problema, o que infelizmente ainda não acontece noutros estádios quando quem viaja são adeptos do Osasuna. Os adeptos do Osasuna voltaram a comportar-se de forma exemplar, tal como na última final da Taça do Rei entre as duas equipas, onde, apesar dos 23 000 adeptos presentes, não se registou qualquer incidente".