A dura aprendizagem de Georges Mikautadze no Ajax

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
A dura aprendizagem de Georges Mikautadze no Ajax
Georges Mikautadze não tem jogado muito desde o início da época
Georges Mikautadze não tem jogado muito desde o início da época
Profimedia
O melhor jogador da Ligue 2 na época passada, Georges Mikautadze, de 23 anos, trocou o Metz no verão pelo Ajax. Com o clube em dificuldades, o internacional georgiano teve de se contentar com algumas aparições, e a chegada de John van t'Schip ao banco de suplentes em nada alterou essa tendência.

O último golo de Georges Mikautadze foi contra o Clermont. Isso foi em agosto, na terceira jornada da Ligue 1, com o FC Metz. Desde então, o georgiano trocou a Lorena pelos Países Baixos e, quando se cruzou novamente com os Phocéens (contra quem tinha aberto a sua conta na Ligue 1) com o Ajax, ainda não tinha encontrado o fundo da rede, além de um golo marcado com a Geórgia, contra Chipre, em outubro.

Demasiadas expectativas

A sua transferência custou 16 milhões de euros ao Grenats, que correu o risco de deixar escapar o seu melhor jogador no momento em que o clube estava a regressar à primeira divisão. Para o avançado, tratava-se de subir de categoria dentro de um clube conhecido por formar e exportar rapidamente a um preço alto.

Em termos de vendas, o verão tinha sido prolífico, com mais de 155 milhões de euros nos cofres. O destino fazia sentido, mas três meses depois da sua chegada à capital neerlandesa, Mikautadze parece ter chegado a um impasse.

Quando o Ajax era dirigido por Maurice Steijn, o jogador nascido em Lyon foi imediatamente lançado no jogo contra o Fortuna Sittard (0-0). Posicionado como número 10 no esquema 4-2-3-1, Mikautadze jogou a partida inteira. Foi a única vez que o fez até agora. Na noite da 9.ª jornada e de uma derrota com o Utrecht ( 4-3), Steijn foi dispensado das suas funções, o Ajax estava no fundo do poço, o que não ajudou à integração do avançado.

A substituição de Hedwiges Maduro frente ao PSV (derrota por 5-2) e a nomeação de John van t'Schip em nada alteraram o quotidiano do ex-messiniano. Até agora, sob o comando do novo treinador, só foi titular uma vez, contra o Almere City (2-2), ainda como médio centro, mas foi retirado ao intervalo com o resultado ainda 0-0. No último fim de semana, na vitória frente ao Vitesse, último classificado da tabela, entrou após o quinto golo de Ajacid (5-0).

Apesar de um contrato de cinco anos, Mikautadze não está a receber muita confiança neste momento, embora não tenha tido muitas dúvidas ao escolher o seu novo destino.

"Toda a gente conhece o Ajax, é um grande clube e alguns jogadores muito famosos jogaram lá", explicou Mikautadze aos meios de comunicação social do clube na altura da sua contratação. "Não hesitei nem um segundo", disse.

Na altura, o diretor desportivo era Sven Mislintat, mas foi demitido em setembro e substituído por Marijn Beuker na quarta-feira. Mislintat comparou Mikautadze a Dusan Tadic, um dos homens-chave de Erik ten Hag quando o Ajax chegou aos quartos de final da Liga dos Campeões em 2019. 

Como internacional georgiano, Mikautadze também tem um legado a cumprir, o de Shota Arveladze, que passou quatro anos no Ajax (1997-2001) e marcou 72 golos em 125 jogos. É muito para um jogador que marcou 23 golos na Ligue 2 na época passada, mas que ainda só tem 23 anos e ainda não descobriu a primeira divisão.

Entrando como substituto aos 78 minutos contra o Brighton na 4.ª jornada, o avançado fez a sua estreia na Liga Europa às escondidas. Será que um regresso a França lhe dará tempo de jogo significativo? Após as suas primeiras semanas nos Países Baixos, Mikautadze está à espera de um clique, ou talvez contemple a possibilidade de um empréstimo em janeiro. Ainda próximo do presidente Bernard Serin, o jogador poderia regressar ao Metz antes de se lançar verdadeiramente na aventura do Ajax.