Inter Miami lamenta ausência de Lionel Messi em Hong Kong: "As lesões fazem parte do jogo"

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Inter Miami lamenta ausência de Lionel Messi em Hong Kong: "As lesões fazem parte do jogo"
Messi não jogou uma partida de exibição em Hong Kong
Messi não jogou uma partida de exibição em Hong Kong
Reuters
O Inter Miami pediu desculpas pela impossibilidade de Lionel Messi jogar uma partida de exibição em Hong Kong, uma decisão tardia que enfureceu os adeptos e decepcionou os organizadores, mas que o clube da Major League Soccer considerou necessária.

O argentino Messi, oito vezes vencedor da Bola de Ouro, não aqueceu perante os 40.000 adeptos presentes no Estádio de Hong Kong, no domingo, porque estava a ser avaliado pela equipa médica, que decidiu que era demasiado arriscado para ele e para o colega de equipa Luis Suarez somarem minutos.

"Apesar das nossas melhores intenções, entendemos que houve deceção com a ausência de Lionel Messi e Luis Suarez no jogo de domingo e lamentamos que os dois jogadores não pudessem participar", disse o Inter Miami em comunicado enviado à Reuters na quinta-feira: "Também reconhecemos que a decisão tardia causou frustração entre os nossos adeptos de Hong Kong e o promotor do evento, Tatler Asia. Sentimos que é necessário expressar que as lesões são, infelizmente, uma parte do jogo bonito, e a saúde dos nossos jogadores deve estar sempre em primeiro lugar".

Miami disse que, no que diz respeito a Messi e Suárez, eles queriam tomar uma decisão à última hora para que existisse a possibilidade de recuperarem de forma a irem a jogo.

Três dias depois, Messi entrou em campo aos 60 minutos do segundo tempo no particular do Inter Miami contra o Vissel Kobe, da J-League, em Tóquio, onde blocos inteiros de assentos no Estádio Nacional do Japão permaneceram desocupados, com apenas 28.614 ingressos vendidos.

Os espectadores do jogo esgotado em Hong Kong, que o Inter Miami venceu por 4-1 contra um onze da liga local, gritaram "reembolso", enquanto o governo de Hong Kong disse que os organizadores do jogo, a Tatler Asia, poderão ter de reduzir o financiamento.

O Comité dos Grandes Eventos Desportivos (MSEC) concedeu 1,7 milhões de euros para o evento, juntamente com um subsídio de milhares de euros para o local do jogo, informou o governo num comunicado.

O Inter Miami disse que estaria ansioso por regressar a Hong Kong se os adeptos estivessem abertos a receber o clube novamente.

"Os jogadores lesionam-se no futebol e isso não é culpa de ninguém. É uma parte do belo jogo que é cruel, e impactou nossa visita a Hong Kong nesta ocasião", disse Miami: "Enquanto continuamos a consumir as manchetes e a negatividade em relação aos diferentes intervenientes, sentimo-nos obrigados a reiterar a realidade deste tipo de lesões desportivas."