"Cold Palmer" aquece antes do reencontro do Chelsea com o Manchester City

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

"Cold Palmer" aquece antes do reencontro do Chelsea com o Manchester City

Cole Palmer, atacante do Chelsea
Cole Palmer, atacante do ChelseaAFP
O avançado do Chelsea, Cole Palmer, surge como candidato a Jogador do Ano graças a uma campanha deslumbrante que deixou o treinador do Manchester City, Pep Guardiola, a lamentar a falta que faz na sua equipa antes do reencontro entre ambos na meia-final da Taça de Inglaterra, no sábado.

Palmer está a desfrutar de uma temporada de sucesso após a sua surpreendente transferência do City no dia limite do prazo de transferências em setembro. 

O jogador de 21 anos marcou quatro vezes na goleada de 6-0 do Chelsea sobre o Everton na segunda-feira, mostrando por que é apelidado de Cold Palmer com uma grande penalidade de muita frieza, depois de impedir o companheiro de equipa Nicolas Jackson cobrar o castigo.

A habilidade implacável de Palmer nas grandes penalidades teria sido útil para o City, que foi derrotado pelo Real Madrid nos quartos de final da Liga dos Campeões na quarta-feira, depois de um desempate que contou com falhas de Bernardo Silva e Mateo Kovacic.

Enquanto o antigo clube de Palmer ficou atordoado com a dolorosa derrota, o Chelsea enfrentará o City em Wembley num clima de alegria após a última performance contra o Everton.

Com liberdade para se movimentar a partir da sua posição de origem, à direita na linha de frente do Chelsea, Palmer tem brilhado com finalizações letais e um toque criativo que já rendeu nove assistências na Premier League esta temporada.

Além disso, apontou 23 golos em todas as competições esta temporada, incluindo 20 em 28 jogos na Premier League, o que faz dele o melhor marcador da competição, em igualdade com Erling Haaland, do City.

É muito improvável que tivesse igualado essas estatísticas se tivesse ficado no City, onde Phil Foden, Jack Grealish e Jeremy Doku bloquearam o caminho para se tornar titular. Em vez de um papel secundário no City, o surgimento de Palmer como o jogador mais influente do Chelsea é o ponto mais brilhante de uma campanha difícil para os londrinos.

Palmer tem sido educado sobre o fim do vínculo de 13 anos com o City, mas não há dúvidas de que eliminar o campeão da Taça da Inglaterra teria um significado extra para o avançado.

"A decisão de vir para o Chelsea foi muito importante para mim e para a minha família, mas eu só queria jogar futebol. Estou grato ao Chelsea por esta oportunidade. Estou a vibrar", disse Palmer.

"Comporta-se como goleador"

Derrotado pelo Liverpool na final da Taça da Liga em fevereiro, o Chelsea está à procura do primeiro troféu doméstico desde a Taça de Inglaterra de 2018.

Outra exibição virtuosa de Palmer será vital para as esperanças do treinador do Chelsea, Mauricio Pochettino, de permanecer na disputa para ganhar o primeiro troféu em Inglaterra.

"Ele está a mostrar que o clube tomou a decisão certa ao contratá-lo. É um jogador que tinha a capacidade de marcar golos quando estava no City. Não nos surpreende. A forma como se adaptou, jogou e atuou é fantástica. Comporta-se como um goleador. É fantástico para a equipa e para ele", disse Pochettino.

Palmer também pode lembrar Guardiola da decisão polémica que voltou a assombrar o espanhol. Os golos que marcou pelo City na Supertaça de Inglaterra contra o Arsenal e na Supertaça Europeia contra o Sevilha pareciam consolidar Palmer como uma certeza para seguir os passos de Foden como um prodígio da casa.

Mas, não querendo aceitar o desejo de Palmer de ter mais tempo de jogo, Guardiola aceitou a oferta de 42 milhões de libras do Chelsea. Com o City a ser prejudicado pelas lesões de Haaland e Kevin De Bruyne durante períodos significativos desta época, Palmer, que marcou 11 golos nos últimos seis jogos, teria sido um substituto mais do que adequado como goleador e criador.

O City voltou ao topo da Premier League, mas Palmer roubou-lhes dois pontos importantes com o seu penálti no último minuto no empate 4-4 entre as equipas em novembro. O inglês, que já disputou duas partidas pela seleção, não participou nos jogos de preparação para o Euro-2024 contra Brasil e Bélgica devido a uma lesão.

Mas a sua brilhante forma colocou-o firmemente na luta por um lugar no plantel de Gareth Southgate.

Se o sonho de Palmer de disputar a Taça da Inglaterra e o Europeu se concretizar, Pochettino deve estar mais confortável, enquanto Guardiola só tem a lamentar.

Os números da exibição perfeita de Cole Palmer contra o Everton
Os números da exibição perfeita de Cole Palmer contra o EvertonAFP/Opta by Stats Perform