Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Hóquei em patins: OC Barcelos elimina Benfica nos penáltis (2-2, 1-2 gp), FC Porto vence Oliveirense (4-3) e vão decidir a Taça

Atualizado
Duelo disputado em Barcelos
Duelo disputado em BarcelosOliveirense
Equipa da casa está na final e vai discutir um troféu que escapa desde 2004. Foi preciso um prolongamento para decidir a primeira meia-final da competição. Dragões chegaram a perder aos últimos dois minutos do tempo regulamentar, mas deram a volta.

Benfica 2-2 OC Barcelos (1-2 gp)

A segunda meia-final da Taça de Portugal de hóquei em patins opôs o Benfica ao OC Barcelos, o anfitrião. Em busca de aproveitar o fator casa, os minhotos tentavam assim voltar às grandes conquistas e agarrar um troféu que escapa desde 2004.

O Benfica começou melhor com Nil Roca (17 minutos) a marcar, mas a resposta não se fez esperar e Alvarinho empatou no mesmo minuto, convertendo um livre direto. A partida chegou empatada ao intervalo, depois de Conti Acevedo ter defendido um livre direto de Lucas Ordoñez.

A etapa complementar foi uma repetição do primeiro tempo. Roberto di Benedetto abriu o ativo (34 minutos), mas Miguel Rocha respondeu e empatou tudo aos 44 minutos. Iam ser precisos pelo menos mais 10 minutos para decidir o segundo finalista.

E depois de um tempo extra sem golos, tudo ia ficar resolvido nos penáltis, onde a equipa da casa esteve melhor. Poka e Alvarinho converteram as stickadas, enquanto do Benfica Nil Roca foi o único a ter pontaria afinada. Perante um pavilhão em erupção, o OC Barcelos carimbava o acesso à final, onde vai defrontar o FC Porto.

FC Porto 4-3 Oliveirense (após prolongamento)

Em destaque na fase regular, a Oliveirense transportou o bom momento para as meias-finais da Taça de Portugal, onde media forças com o líder FC Porto. Em Barcelos, dois primeiros classificados abriram a edição 2023/24 da final four e o triunfo acabou por sorrir aos azuis e brancos.

Num primeiro tempo mexido, Gonçalo Alves (7 minutos) abriu o ativo, mas a resposta da Oliveirense foi imediata: Facundo Navarro (8 minutos) e Lucas Martínez (12 minutos) selaram a reviravolta que acabou por permanecer até ao fim.

Os dragões dispuseram de boas oportunidades, mas esbarraram num Xano Edo em grande momento de forma. Além do penálti defendido a Gonçalo Alves, o internacional português segurou a baliza nos minutos finais de sufoco dos dragões.

Quando tudo parecia que a vitória ia sorrir à equipa de Oliveira de Azeméis, foi já nos minutos finais que o FC Porto empatou. Carlo di Benedetto (49 minutos) estava no sítio certo e igualou o encontro. Seriam precisos mais 10 minutos para decidir o vencedor.

O prolongamento acabou por ser mais animado. Gonçalo Alves abriu o ativo na marcação de um penálti, logo aos 4 minutos.

No segundo tempo, o português falou um livre direto, mas na recarga Carlo di Benedetto (7 minutos) fez o quarto tento dos dragões. Facundo Navarro (9 minutos) ainda reduziu, mas o conjunto de Oliveira de Azeméis acabou mesmo por ser eliminado.

O FC Porto regressa à final, onde via tentar o 19.º troféu, recuperando a competição que conquistou pela última vez em 2022.