Paris 2024: Campeão Pichardo aumenta missão lusa para 41 atletas

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Paris 2024: Campeão Pichardo aumenta missão lusa para 41 atletas

Pablo Pichardo garantiu mínimos para os Jogos Olímpicos
Pablo Pichardo garantiu mínimos para os Jogos OlímpicosLUSA
O campeão olímpico em título Pedro Pichardo garantiu esta sábado um lugar nos Jogos Olímpicos Paris 2024, ao superar os 17,22 no triplo salto do meeting de Xiamen, na China, aumentando a missão portuguesa para 41 atletas.

Pichardo começou o concurso da prova da Liga Diamante com um salto de 17,38 metros, garantindo desde logo os mínimos, e, no último salto, ainda melhorou, conseguindo 17,51.

O atleta de origem cubana vai, assim, poder defender na capital francesa o título conquistado há três anos, na edição Tóquio 2020, quando pulou 17,98, marca que ainda é recorde de Portugal.

No atletismo, Pichardo junta-se na equipa lusa, agora composta por nove atletas, a Pedro Buaró (salto com vara), Samuel Barata e Susana Godinho (maratona), Isaac Nader (1.500 metros), João Coelho (400 metros), Auriol Dongmo (peso), Ana Cabecinha (20 quilómetros marcha) e Irina Rodrigues (disco).

As vagas só serão confirmadas oficialmente depois de 30 de junho, quando for realizado o acerto entre lugares de ranking e marcas.

O atletismo é, para já, a modalidade mais representada, entre as 11 com lugar garantido em Paris 2024, com a natação a seguir-se, com cinco apurados.

Diogo Ribeiro, que já conseguiu mínimos nos 50 e 100 metros livres e também nos 100 metros mariposa, prova em que é campeão mundial, João Costa (100 metros costas), Camila Rebelo (200 metros costas), Miguel Nascimento (50 metros livres) e Angélica André (águas abertas) estão qualificados.

No equestre, o dressage garantiu uma quota coletiva, pelo que, além da presença no concurso de obstáculos (vaga assegurada para o país por Duarte Seabra), Portugal levará outros três cavaleiros a Paris 2024, que participarão tanto na competição de equipas, como na prova individual.

Quatro são também as quotas garantidas no triatlo, já que a estafeta mista qualificou-se, com duas mulheres e dois homens, que vão participar nas provas individuais.

Na canoagem, Teresa Portela assegurou vaga em K1 500 metros, Fernando Pimenta em K1 1.000 metros, prova em que ganhou a medalha de bronze em Tóquio2020, e João Ribeiro e Messias Baptista em K2 500. Os quatro foram selecionados.

A vela também tem, para já, três quotas e quatro atletas, Diogo Costa e Carolina João em 470, Eduardo Marques em ILCA 7 e, até decisão em contrário, Vasileia Karachaliou em ILCA 6, sendo que o Comité Olímpico Grego já disse que não autorizava a participação da velejadora por Portugal - a quota pode passar para outra nação.

No ciclismo, Portugal, pelo sexto lugar de Nelson Oliveira no contrarrelógio dos últimos Mundiais e pelo ranking, terá dois elementos nesta especialidade e os mesmos dois na prova de fundo, em masculinos, e ainda uma ciclista na prova de fundo feminina, algo que não acontecia desde Atlanta 1996.

O ténis de mesa terá a equipa masculina, composta por três jogadores - numa quota conquistada por Marcos Freitas, Tiago Apolónia, João Geraldo e Diogo Carvalho no Mundial por equipas -, dos quais ainda sairão dois para o torneio individual.

As surfistas Teresa Bonvalot e Yolanda Hopkins, quinta em Tóquio 2020, os ginastas Filipa Martins, no concurso completo, e Gabriel Albuquerque, em trampolins, e a atiradora Maria Inês Barros, em tiro com armas de caça (trap), completam a equipa lusa.