Paris-2024: Chefe da Associação Olímpica Britânica "preocupado" com a cerimónia de abertura

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Paris-2024: Chefe da Associação Olímpica Britânica "preocupado" com a cerimónia de abertura

Os Jogos Olímpicos de verão de 2024 realizar-se-ão em Paris, no verão
Os Jogos Olímpicos de verão de 2024 realizar-se-ão em Paris, no verãoAFP
O presidente executivo da Associação Olímpica Britânica, Andy Anson, manifestou "preocupação" com a cerimónia de abertura dos Jogos de Paris 2024 no rio Sena, depois de o Presidente francês, Emmanuel Macron, ter dito que a cerimónia poderia ser transferida para um estádio em caso de ameaça à segurança.

Macron afirmou pela primeira vez que, em vez de as equipas navegarem pelo Sena em barcaças, a cerimónia poderá ser "limitada ao edifício Trocadero", do outro lado do rio, em frente à Torre Eiffel, ou "mesmo transferida para o Stade de France".

Os organizadores de Paris conceberam uma cerimónia sem precedentes na história dos Jogos Olímpicos, uma vez que rompe com a tradição da abertura dos Jogos no estádio principal.

Os planos actuais prevêem que cerca de 10.000 atletas naveguem ao longo de um trecho de seis quilómetros do Sena em cerca de 160 barcaças, antes de se reunirem no Trocadero para uma cerimónia. No entanto, com as guerras em curso na Ucrânia e em Gaza, tem sido manifestada a preocupação de que a cerimónia possa deixar os atletas potencialmente vulneráveis a ataques.

"Estou claramente preocupado", disse Anson à Sky News numa entrevista transmitida na quarta-feira para assinalar os 100 dias que faltam para a cerimónia de abertura, a 26 de julho: "É uma das coisas mais importantes que temos de gerir do ponto de vista do risco. Seríamos ingénuos se não pensássemos nisso. A nossa prioridade número um é manter todos os nossos atletas, a nossa comitiva e os nossos adeptos em segurança."

Anson acrescentou que a cerimónia de abertura "é um ambiente de alto risco e que tem de ser gerido em conformidade, mas os franceses estão muito, muito conscientes disso".

Macron afirmou que a cerimónia de abertura irá decorrer sob condições de alta segurança, mas que os organizadores têm planos de contingência.

"Esta cerimónia de abertura é uma estreia mundial. Podemos fazê-lo e vamos fazê-lo", afirmou Macron numa entrevista à BFMTV e à RMC: "Criámos um cordão de segurança que vai ser muito grande, onde vamos controlar todas as pessoas que entram e saem".

Mas, acrescentou, "há planos B e C, estamos a prepará-los em paralelo... Vamos analisar isto em tempo real".

Os planos de emergência incluem a mudança da cerimónia para o Stade de France, a norte de Paris, que é o principal local de competição do atletismo - a peça central de todos os Jogos Olímpicos.

Menções