Townsend: Escócia está "totalmente concentrada" no resultado da Inglaterra nas Seis Nações

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Townsend: Escócia está "totalmente concentrada" no resultado da Inglaterra nas Seis Nações
Gregor Townsend, treinador da Escócia, durante uma sessão de treino
Gregor Townsend, treinador da Escócia, durante uma sessão de treino
AFP
Gregor Townsend diz que a Escócia vai concentrar-se apenas em vencer o seu "maior jogo da época" contra a Inglaterra e manter o seu recente domínio sobre os seus amargos rivais no confronto de sábado das Seis Nações.

A Escócia sofreu uma derrota agonizante de 20-16 na segunda ronda contra a França, uma derrota que se tornou ainda mais dolorosa devido à negação do que teria sido um ensaio vencedor da partida nos segundos finais, após uma revisão de vídeo.

Townsend disse que a equipa já se conformou com o resultado e que quer manter o controlo da Taça de Calcutá, contra a Inglaterra, que venceu os dois primeiros jogos das Seis Nações deste ano.

"Quando se vem de uma derrota, é preciso recuperar com uma vitória", disse o treinador, depois de ter nomeado a sua equipa para defrontar a Inglaterra esta quinta-feira.

A atenção está toda virada para este jogo, porque é o mais importante da época.

"É o jogo mais importante para os nossos adeptos e também jogamos por um troféu... é história. É emoção. Já vimos o impacto que este jogo tem nos adeptos escoceses quando conseguimos uma vitória neste jogo. É isso que nos vai guiar no sábado", afirmou Gregor Townsend.

A Escócia está a tentar obter a quarta vitória consecutiva sobre a Inglaterra, em contraste com uma série de apenas três vitórias contra eles no torneio entre 1991 e 2017.

Townsend está feliz por ver a restauração da autoconfiança dos escoceses.

"O jogo de 2018 (a primeira vitória da Escócia sobre a Inglaterra em uma década) certamente deu confiança aos jogadores quando eles enfrentaram a Inglaterra nos últimos jogos", disse.

O treinador escocês fez três alterações à equipa que começou contra a França, com Blair Kinghorn e Kyle Steyn a regressarem aos três defesas e o antigo capitão Jamie Ritchie a ser chamado ao grupo para o jogo em Edimburgo.

O lateral do Toulouse, Kinghorn, perdeu os dois primeiros jogos com uma lesão no joelho, enquanto o ala do Glasgow, Steyn, foi afastado tardiamente contra a França, depois da sua esposa ter entrado em trabalho de parto.

O flanqueador Ritchie foi chamado para o lugar de Matt Fagerson, depois de ter sido titular na dramática vitória da Escócia por 27-26 sobre o País de Gales na primeira volta, em Cardiff.

"Jamie aceitou realmente o desafio que lhe foi lançado há cerca de um mês, de que havia uma maior concorrência na linha de trás e que, por essa razão, já não seria capitão", disse Townsend.

"Mas, desde essa conversa, disputou dois jogos pelo Edinburgh e um pela Escócia, em Cardiff, e jogou bem. Acreditamos que este jogo se adequará aos seus pontos fortes e a experiência que ele pode trazer à equipa também será um impulso", acrescentou o treinador.