Tulipa: "Não temos duas caras, simplesmente tem a ver com as competências do adversário"

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Tulipa: "Não temos duas caras, simplesmente tem a ver com as competências do adversário"
Tulipa já pensar na próxima jornada, diante do Chaves
Tulipa já pensar na próxima jornada, diante do Chaves
LUSA
Tulipa, treinador do Vizela, ficou satisfeito com a exibição da sua equipa no Estádio do Dragão, apesar da derrota por 0-2, diante do FC Porto, na 19.ª jornada do campeonato.

"Parece-me que o jogo, na primeira parte, foi equilibrado, sem grandes oportunidades. Nós não quisemos fugir muito do nosso padrão: quisemos sair a jogar, ter espaço para construir, nem sempre fomos eficazes, nem sempre conseguimos atrair o FC Porto, de forma que o FC Porto nos desse oportunidades para depois termos espaços e sair com os nossos homens mais rápidos. Mas acho que também teve a ver com mérito na forma como o FC Porto nos analisou. A primeira parte é muito igual, mais domínio do FC Porto claramente, nós a ficar mais um bloco médio-baixo, mas sem grandes oportunidades. O FC Porto, através de um erro, que é uma saída nossa, queríamos atrair os laterais do FC Porto a saltar alto, para ficarmos em igualdade e com espaço para explorar. Perdemos essa bola e acabámos por sofrer golo", começou por explicar Tulipa, em declarações à Sport TV.

"Na segunda parte, outra vez muito do mesmo, mais domínio do FC Porto, mais constância do jogo do FC Porto, a encontrar os espaços e a profundidade pelo João Mário e a ligar com os homens de dentro. Conseguimos controlar ainda esse aspeto, mas queríamos ter mais bola e não fomos capazes. Quando se gerou algum espaço para sair em transição, nunca conseguimos ir ao lado livre e o FC Porto, na pressão, tinha mais gente e bloqueou-nos", analisou o treinador do Vizela.

"Depois, arriscámos um bocadinho, não tínhamos nada a perder, introduzimos o segundo avançado, coisa que nem é muito treinada por nós, metemos dois pontas, dois alas à largura e ficámos mais fragilizados no nosso equilíbrio no meio-campo e nas coberturas e, com mérito, o FC Porto encontrou espaço, fez o segundo golo e resolveu o jogo. O FC Porto foi mais forte, mas continuo a achar que a minha equipa joga bem, quer jogar bem, não se encolhe tanto como as pessoas pensavam que ia acontecer. É uma equipa que tem a tendência de querer pressionar alto, quando não conseguimos foi por mérito do FC Porto", considerou Tulipa, sem querer relacionar os resultados com o fator casa do Vizela.

"Os jogos que tivemos fora foram contra adversários difíceis, mas o jogo com o Famalicão foi bem disputado, as possibilidades de pontuar ou até ganhar foram grandes, na segunda parte dominámos o jogo, fomos atrás do resultado. Tem a ver com isso, com os adversários, percebemos e avisámos hoje a equipa que não queríamos correr o risco de perder jogadores para no jogo de sexta-feira estarmos juntos e completos para tomar as melhores decisões e de tentar vencer o Chaves. Não temos duas caras, simplesmente tem a ver com as competências do adversário", defendeu Tulipa.