GP da China: Aston Martin protesta resultados da qualificação após bandeira vermelha

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

GP da China: Aston Martin protesta resultados da qualificação após bandeira vermelha

Fernando Alonso vai começar a corrida de domingo em terceiro, independentemente do protesto
Fernando Alonso vai começar a corrida de domingo em terceiro, independentemente do protestoReuters
A Aston Martin protestou contra os resultados da qualificação para o Grande Prémio da China, no sábado, depois de Carlos Sainz, da Ferrari, ter batido e provocado bandeiras vermelhas, mas ter sido autorizado a continuar quando a sessão foi reiniciada.

A Aston Martin, que viu Fernando Alonso qualificar-se em terceiro lugar para a corrida de domingo e o seu colega de equipa Lance Stroll em 11.º, protestou contra uma alegada violação do artigo 39.6 do regulamento desportivo da Fórmula 1.

O artigo estabelece que "qualquer piloto cujo carro pare na pista durante a sessão de qualificação ou a sessão de qualificação ao sprint não será autorizado a tomar qualquer outra parte nessa sessão".

Os representantes da Ferrari também foram convocados para os comissários de pista em relação ao protesto.

Sainz despistou-se depois de ter passado ao lado da última curva na segunda fase da qualificação, com os ecrãs de cronometragem a registarem que o seu carro estava parado.

O espanhol manteve o motor a trabalhar e levou o Ferrari de volta às boxes, onde a equipa mudou os pneus e a asa dianteira e o enviou de volta quando a qualificação recomeçou.

Foi o terceiro mais rápido nessa fase e acabou por se classificar em sétimo, com o colega de equipa Charles Leclerc em sexto.

Stroll teria entrado no top-10 final se Sainz não tivesse continuado.