Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Fórmula 1: Polícia investiga origem de email a acusar Mercedes de sabotar Hamilton

Hamilton no meio de uma polémica
Hamilton no meio de uma polémicaAFP
A polícia está a investigar a origem de um email dirigido a vários elementos que acompanham o Mundial de Fórmula 1 que acusa a Mercedes de sabotar o piloto britânico Lewis Hamilton, revelou a própria escuderia germânica.

Esse email é chocante e não provém de nenhum membro da equipa. Pedimos à polícia que investigasse o endereço IP (n.d.r.: que identifica a origem do remetente)”, explicou o diretor desportivo da equipa alemã, o austríaco Totó Wolff.

Em causa está um correio eletrónico que foi divulgado por vários elementos do paddock, alegando que “alguém na equipa” tem sabotado o carro do piloto britânico, que irá para Ferrari na próxima temporada.

É a segunda comunicação do género, depois de, já anteriormente, um jornalista do periódico britânico Daily Mail ter recebido uma mensagem pelo whatsapp com alegações semelhantes.

É completamente irracional”, frisou o patrão da Mercedes, à margem do Grande Prémio de Espanha, 10.ª ronda da temporada, que se disputa este fim de semana, em Barcelona.

O email foi enviado em 10 de junho, intitulado “potencial risco de morte para Lewis”, dando a entender que Hamilton está a ser prejudicado pela equipa, em detrimento do compatriota George Russell, precisamente pela decisão já anunciada de abandonar a Mercedes rumo à Ferrari no final da temporada.

Wolff é acusado de ser “vingativo” e de tudo fazer “para se vingar” do piloto, por este ter decidido “abandonar a Mercedes”.

Nós queremos ter um bom desempenho com o melhor piloto que já tivemos. Respeitamos por inteiro as razões por ele apresentadas, não temos qualquer ressentimento”, frisou Toto Wolff.