Guia das equipas de F1 (parte 1): Alpine, Williams, RB, Sauber e Haas

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Guia das equipas de F1 (parte 1): Alpine, Williams, RB, Sauber e Haas

A Alpine terminou em sexto lugar na classificação dos construtores na época passada, depois de uma mudança de direção a meio da época
A Alpine terminou em sexto lugar na classificação dos construtores na época passada, depois de uma mudança de direção a meio da épocaAFP
O resumo da AFP Sport das equipas e dos pilotos que se preparam para o início do campeonato de Fórmula 1 de 2024 no Bahrein, no próximo sábado (pilotos: nacionalidade, idade, posição/pontos na época passada):

Alpine

Motor: Renault

Chefe de Equipa: Bruno Famin (França)

Pilotos: Esteban Ocon (França), Pierre Gasly (França)

A equipa Renault, rebatizada em 2021, conseguiu chegar ao sexto lugar na classificação dos construtores, apesar de uma mudança de gestão a meio da época. A Alpine apanhou o paddock de surpresa ao anunciar em julho passado, no fim de semana do Grande Prémio da Bélgica, a demissão do chefe de equipa Otmar Szafnauer e do diretor desportivo Alan Permane.

O vice-presidente da Alpine, Bruno Famin, que assumiu a direção da equipa francesa sediada no Reino Unido, explicou que as diferenças de opinião sobre os desempenhos e os planos futuros estavam por detrás das saídas. O experiente diretor técnico Pat Fry também se despediu para se juntar à Williams.

Pierre Gasly, da Alpine
Pierre Gasly, da AlpineAFP

Na pista, houve pouca escolha entre os pilotos franceses da equipa, com cada um a subir ao pódio, Ocon no Mónaco e Gasly em Zandvoort. Os dois vão para a batalha com o que Gasly descreveu como um novo carro "ousado e agressivo" para 2024.

"Queremos ver a equipa no topo, é onde também queremos estar, por isso vamos trabalhar para isso", disse o piloto de 28 anos, na sua segunda época ao lado de Ocon: "Sinto-me muito melhor do que há 12 meses, quando vim para cá pela primeira vez. Sinto-me fantástico e só quero sentar-me ao volante do carro e levá-lo ao limite", disse no lançamento do carro este mês.

Williams

Motor: Mercedes

Chefe de Equipa: James Vowles (Reino Unido)

Pilotos: Alex Albon (Tailândia), Logan Sargeant (EUA)

James Vowles deixou o seu cargo de chefe de estratégia da Mercedes para assumir o comando desta icónica equipa britânica na época passada, tornando-se apenas o terceiro chefe de equipa nos 46 anos de história da marca fundada pelo falecido Frank Williams. A chegada de Vowles conduziu a uma evidente melhoria do desempenho.

No último lugar na classificação dos construtores em 2022, a Williams, com 16 campeonatos do mundo durante os seus dias de glória nas décadas de 1980 e 1990, subiu para sétimo, o seu melhor resultado em seis épocas.

Propriedade da Dorilton Capital desde 2020, sob a direção de Vowles, o carro de 2023 mostrou muito ritmo na qualificação e velocidade em linha reta. O objetivo para esta época é aproveitar o sétimo lugar obtido pela Albon em Montreal e Monza.

Vowles fez uma advertência aos possíveis pretendentes Mercedes e Red Bull sobre o talentoso Albon, que tem contrato até 2025. O piloto tailandês baseado em Londres conquistou 27 pontos na última temporada.

Alex Albon diz que a Williams pode
Alex Albon diz que a Williams pode AFP

A presença do companheiro de equipa Sargeant no cockpit da Williams esteve em dúvida após uma época difícil para o estreante americano, mas o seu lugar em 2024 foi confirmado em dezembro, apesar de ter somado apenas um ponto, o seu primeiro na F1, ao total da equipa.

Após os testes desta semana, Albon comentou: "É um carro totalmente diferente para entender. Não acho que vamos começar a correr, mas podemos começar a correr".

RB

Motor: Honda-Red Bull

Chefe de Equipa: Laurent Mekies (França)

Pilotos: Yuki Tsunoda (Japão), Daniel Ricciardo (Austrália)

A antiga Minardi foi originalmente criada pela empresa-mãe Red Bull em 2006 como equipa "secundária" para os jovens pilotos, competindo como Toro Rosso e depois AlphaTauri. Esta época dá pelo nome de RB - ou, para lhe dar o título completo, Visa Cash App RB.

Yuki Tsunoda, da RB, nos testes da semana passada
Yuki Tsunoda, da RB, nos testes da semana passadaAFP

Mais importante ainda, a equipa tem um novo chefe, o antigo diretor desportivo da Ferrari, Laurent Mekies, que substitui o muito experiente Franz Tost.

Tost dirigiu a equipa desde o início, os seus 18 anos no comando foram marcados pela criação de Sebastian Vettel, um futuro tetracampeão mundial, e Max Verstappen, que esta época luta para igualar o número de títulos de Vettel.

Na época passada, os dois pilotos tiveram alguns problemas, o que resultou apenas no oitavo lugar na classificação dos construtores. O muito aclamado estreante Nyck de Vries substituiu Pierre Gasly, que foi para a Alpine. Mas o jovem neerlandês foi despedido a meio da época, com Ricciardo a regressar à grelha depois de um período de ausência do desporto.

O regresso do popular australiano foi dificultado quando partiu a mão num acidente, o que o obrigou a ficar de fora das cinco corridas seguintes. O piloto de 34 anos estará ansioso por mostrar o que é capaz de fazer ao lado do seu companheiro de equipa japonês Tsunoda, agora na sua quarta época na equipa.

Sauber

Motor: Ferrari

Chefe de Equipa: Alessandro Alunni Bravi (Itália)

Pilotos: Valtteri Bottas (Finlândia), Zhou Guanyu (China)

Valtteri Bottas pode ainda ostentar o seu caraterístico penteado mullet, mas esta equipa suíça originalmente fundada em 1993 por Peter Sauber sofreu uma mudança de identidade para 2024, tendo corrido nas últimas épocas como Alfa Romeo.

A nova e impressionante pintura verde eléctrica da Sauber chamou a atenção no Bahrain
A nova e impressionante pintura verde eléctrica da Sauber chamou a atenção no BahrainAFP

A Alfa, que venceu o primeiro Grande Prémio de F1 em 1950, deixou a grelha não tanto com um estrondo, mas com um gemido, ficando em nono lugar na tabela de construtores com Bottas e o chinês Zhou, na sua terceira época, a acumular um total de 16 pontos, em comparação com 55 pontos em 2022. Dois oitavos lugares para Bottas no Bahrein e no Qatar foram o seu melhor resultado.

Alessandro Alunni Bravi assumiu o comando da equipa na pista após a saída de Fred Vasseur para a Ferrari na época passada.

A equipa continua a ser patrocinada pela Ferrari até 2026, altura em que se tornará a nova equipa de trabalho da Audi.

Haas

Motor: Ferrari

Chefe de Equipa: Ayao Komatsu (Japão)

Pilotos: Kevin Magnussen (Dinamarca), Nico Hulkenberg (Alemanha)

Sediada em Kannapolis, na Carolina do Norte (com uma fábrica no Reino Unido em Oxfordshire), a equipa do industrial Gene Haas juntou-se à grelha de partida da F1 em 2016, tornando-se a primeira equipa totalmente americana em três décadas.

Embora todas as equipas, com exceção de uma, tenham tido dificuldades de várias formas no ano passado, nenhuma encontrou mais dificuldades do que a Haas, apesar da nova e experiente dupla de pilotos Magnussen e Hulkenberg.

A Haas espera uma reviravolta na sorte com o novo chefe de equipa Ayao Komatsu
A Haas espera uma reviravolta na sorte com o novo chefe de equipa Ayao KomatsuAFP

No mês passado, a equipa despediu o chefe Guenther Steiner, que se tinha tornado uma figura de culto graças ao seu papel de protagonista na série de F1 Drive To Survive da Netflix. O expansivo italiano pagou o preço de uma campanha fraca, com Magnussen e Hulkenberg a somarem apenas uma dúzia de pontos entre si.

O diretor de engenharia Ayao Komatsu assume o comando e a sua tarefa é reacender a sorte de uma equipa que ainda procura o seu primeiro pódio.

Ler parte 2