A ferro e fogo: Adeptos do PSG protestaram em frente ao clube e casa de Neymar

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Mais
Publicidade
Publicidade
Publicidade
A ferro e fogo: Adeptos do PSG protestaram em frente ao clube e casa de Neymar
Os adeptos em protesto
Os adeptos em protesto
AFP
O atual líder da Ligue 1 atravessa uma semana para esquecer, com a derrota diante do Lorient e a visita não autorizada de Lionel Messi à Arábia Saudita. Adeptos perderam a paciência e pedem a saída da atual direção.

Para um clube com o trio ofensivo composto por Lionel Messi, Kylian Mbappé e Neymar a conquista da Ligue 1 sabe sempre a pouco. Ainda para mais num campeonato marcado por sucessivos tropeções, o último dos quais diante do Lorient, no Parque dos Príncipes, que deixou o segundo classificado Marselha a apenas cinco pontos.

Parece ter sido a gota de água para os adeptos que esta quarta-feira decidiram tornar os protestos nas bancadas mais efetivos. Por volta das 18 horas, um grupo de ultras reuniu-se em frente à sede do clube parisiense para protestar e pedir a saída de Nasser Al Khealifi, naquele que é o maior protesto desde  a entrada da Qatar Sports Investment (QSI) no clube.

Além do líder do clube, Messi – que se encontra suspenso depois de uma viagem não autorizada à Arábia Saudita – Christophe Galtier, o treinador, Verratti e Neymar foram todos alvos de insultos. De resto, o jogador brasileiro teve mesmo alguns ultras à porta de casa para se fazerem ouvir.